Parques verdes e hábitos de vida #2

“O verde da nossa vida”!

Senta-te que aí vem História para apresentar a segunda proposta ao OPP.

Naquela localidade, como em muitas outras no nosso país, situada na periferia de uma grande cidade, muitos dos seus habitantes são oriundos do interior do país. Os locais de trabalho, onde arranjaram emprego são, fundamentalmente, na grande cidade. Todos os dias a deslocação para a estação de comboio, metro ou paragens de autocarro faz parte da rotina matinal da grande maioria dos habitantes.

Todos os dias pela manhã, quando o corpo e cabeça ainda estão bem frescos, despertos e atentos para observar o que nos rodeia, reparo no amplo espaço vazio com três árvores perdidas no meio de alguns arbustos, ervas secas, alguns carros estacionados e algum lixo.

Todos os dias penso que é um belo espaço para fazer um parque. Um jardim onde as crianças que ouço palrar e rir, num apertado recreio pavimentado de uma escola primária logo ali ao lado, pudessem usar para brincar e aprender e, porque não os meus pais que passam o dia no apartamento apertado? e os jovens que saem das escolas secundárias e ficam perdidos entre os prédios? e …? e…?. Que agradável seria se aqui houvesse um pomar plantado e cuidado por todos nós, um espaço para jardinagem para as crianças aprenderem a plantar, a ver crescer e a  cuidar do que Terra pode oferecer, um espaço desportivo para os jovens, alguns trilhos e bancos espalhados pelo espaço, e …., todos teriam um espaço de lazer onde pudessem fazer piqueniques, praticar atividades físicas, conviver num espaço coletivo, aprender a crescer e a ter comportamentos saudáveis e responsáveis como é necessário numa vida em sociedade.

Hoje enquanto conduzia, ouvi na rádio, que está aberto o período de submissão de propostas ao Orçamento Participativo de Portugal. Um dia, com as minhas amigas, lampeiras como somos e com iguais preocupações ambientais e de bem-estar, metemos mãos à obra e fizemos uma proposta.

 “O Problema

A População atual, muito devido a maus hábitos de alimentação, às situações de ansiedade e de stress que a vida moderna provoca, a que acresce o sedentarismo está propensa a desfasamentos entre o desenvolvimento cognitivo e o desenvolvimento psicossocial, ao surgimento de doenças físicas e mentais e de padrões de comportamento prejudiciais com os consumos excessivos de alimentos e bebidas não saudáveis em idades precoces, acarretando um acréscimo de custos de saúde para a sociedade e para o Estado.

De uma forma geral, as sociedades adaptam os seus hábitos de vida e de interação com o meio ambiente, de acordo com os contextos que lhes são oferecidas nas cidades e respetivas zonas habitacionais. Por outro lado, quanto mais as pessoas se isolam nas suas casas, menos abertura demonstram relativamente a tudo o que as rodeia, ficando menos propensas a uma interação saudável com a restante comunidade. Permanece um desconhecimento e desconfiança pelo outro, que não proporciona ações de solidariedade entre a população local e até propicia a violência.

Solução

Como forma de combater: i) gastos com a saúde promovendo atitudes de prevenção de doenças com hábitos de vida saudável ii) violência ou vandalismo nas zonas urbanas promovendo a socialização; o estado deve propiciar às populações condições para que a comunidade adapte o seu estilo de vida tornando-o mais ativo e saudável de acordo com as condições que lhe são oferecidas.

Disponibilizando as zonas livres de construção, para que sejam dotadas de condições favoráveis a atividades de famílias e coletivas, como piqueniques, circuitos de trilhos, áreas para intervenção dos utentes com zonas específicas de plantação de pomares, de pequenos bosques e jardins cuidados fundamentalmente pelos utentes do espaço, ensinando os mais novos a cuidar da natureza tendo a seu cargo a sua própria árvore, a sua flor, a compostagem de resíduos para utilização no próprio local, podem constituir uma solução.

Para acesso aos parques de maiores dimensões e mais afastados dos grandes aglomerados populacionais será disponibilizado transporte coletivo constituindo carreiras regulares dentro de um dado período do dia. Nos grandes parques haverá infraestruturas de apoio num horário específico de funcionamento concessionadas a interessados, como, armazém para guarda de pequenas alfaias de jardinagem, café e casas de banho, parques infantis de diversões, áreas vedadas para passeio com animais de estimação, desde que supervisionados por treinadores com habilitações para o efeito, etc.

O Projeto

Criar espaços verdes para lazer e interação com a natureza pelos cidadãos promovendo formas de vida saudáveis em todas as suas dimensões.

Reaproveitar todas as áreas livres de construção, junto às residências, escolas ou outros edifícios públicos, no centro das zonas urbanas e populacionais. Fora dos centros urbanos, utilizar as áreas livres de construção habitualmente de maiores dimensões e eventualmente incluir baldios, que naturalmente se encontram mais desviados dos centros dos aglomerados populacionais, para parques verdes, supervisionados muito com recurso às novas tecnologias para garantia da segurança dos utentes. Serão áreas privilegiadas para contacto direto com a natureza, de lazer e atividades físicas individuais e coletivas e de interação com o espaço, atribuindo alguma responsabilidade aos utentes pela sua manutenção. Haverá atividades promovidas fundamentalmente com escolas e universidades que lecionam áreas dentro do tema da natureza e com instituições da terceira idade.”

 

Esta proposta apresentada ao OPP não chegou a projeto por não ter sido aceite. Mas um planeta sustentável precisa-se. Com pequenas atitudes, podemos contribuir e fazer a nossa parte. Há interessados por aí?

2 thoughts on “Parques verdes e hábitos de vida #2

  1. Eu acho as vossas ideias maravilhosas…mas, infelizmente, as câmaras e os privados acham bem mais interessante tirar lucro do local onde poderia ser um belo parque. É isso que vemos todos os dias!
    Mas sim, há que insistir e insistir e insistir. Talvez um destes dias esse espaço com três árvores seja um parque. A vida é sempre uma surpresa!
    Este planeta merece lutadoras como vocês!

    Gostar

    1. Obrigada pelo seu apoio. Felizmente vamos encontrando alguns projetos muito interessantes (o último que divulgámos da junta de freguesia de campolide,consideramos ser uma ótima iniciativa pública), que nos ajudam a continuar nesta vontade de querer contribuir para uma sociedade mais equilibra com tudo o que nos rodeia. Desejamos-lhes um ótimo dia e obrigada por nos acompanhar

      Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s