Livraria solidária em Carnide, Lisboa

Um projeto ímpar que nos enche de orgulho e nos inspira para um crescimento constante no que são as preocupações com uma sociedade mais comprometida com o que nos rodeia, com os outros e com o ambiente.

Também nós, um grupo de 4 amigas, procuramos o crescimento individual e coletivo, acreditando que devemos caminhar num espírito de partilha. Queremos ser interventivas e, com o nosso blog, inspirar outras pessoas na busca de uma vida mais plena construindo uma sociedade mais equilibrada e em harmonia com o ambiente.

À conversa com Paulo Quaresma. Partilhamos a sua experiência inspiradora com a concretização do projeto Livraria Solidária e soubemos de projetos futuros.

library-3185061__340

Nós: O projeto nasceu de vontades coletivas. Como surgiu e se concretizou este sonho? Pode contar-nos um pouco desse “nascer”, dessa casa de livros?

PQ: A Livraria Solidária de Carnide é um projeto da Boutique da Cultura, uma associação cultural sem fins lucrativos com sede da freguesia. A esta ideia juntaram-se outras duas associações locais: Crescer a Cores e Azimute Radical e apresentámos o projeto ao programa BIP-ZIP da Câmara Municipal de Lisboa.

E assim demos vida a um imóvel, propriedade da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa, situada numa das entradas do Centro Histórico de Carnide, mesmo em frente ao edifício sede da Junta de Freguesia e nas traseiras da Igreja da Luz.

Nós: Quais as circunstâncias que vos fizeram sentir que estava na hora de agir em prol de uma sociedade melhor? Porque uma livraria?

PQ: A Boutique da Cultura tem já quase 5 anos de uma atividade cultural regular e muito diversificada, apostado na promoção da Cultura como forma de incentivo à participação cidadã. E começámos exatamente com um projeto de leituras encenadas, BOA NOITE, que já conta com 5 anos de atividade.

A Livraria Solidária de Carnide surge como uma forma de promover a leitura e o livro.

28058648_1773926335979407_2521222218952296961_n

Nós: Com a inauguração no dia 23 de fevereiro, num edifício localizado na freguesia de Carnide, em Lisboa, quais as reações ao evento? Receberam de imediato donativos? Surgiram manifestações de pessoas interessadas numa participação ativa?

PQ: As reações superaram, e muito as nossas expectativas. Conseguimos abrir a Livraria com cerca de 7 mil títulos expostos e à venda e outros tantos em armazém. Temos livros novos ou já lidos doados por particulares ou instituições. A inauguração contou com a presença da vereadora da habitação e desenvolvimento local da Câmara Municipal de Lisboa e do provedor da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa. Assistiram cerca de duas centenas de pessoas.

Nós: Pelo que nos foi possível perceber através dos meios de comunicação social, o projeto demonstra uma vertente social, cultural mas também ambiental. Foi alguma destas vertentes ou estas e ainda outras, que estiveram na base do vosso projeto?

PQ: Sim, a vertente cultural e social. É mais uma forma de intervenção comunitária neste território. Para além de passarmos a disponibilizar livros a um preço muito acessível (de 1 a 5 euros) as receitas destas vendas revertem totalmente a favor de projetos culturais e sociais.

Nós: Um conceito inerente à Livraria é o preço acessível dos livros cuja receita reverte na íntegra para projetos culturais ou de desenvolvimento comunitário na freguesia. Já existe uma agenda cultural ou estão definidos projetos de desenvolvimento para o bem-estar social da comunidade onde atuam?

PQ: A Livraria Solidária está aberta a acolher iniciativas culturais como tertúlias, lançamentos de livros, horas de conto, workshops. Passará a estar aberta ao primeiro sábado de cada mês, das 14h30 às 19h30 com um conjunto de atividades para as famílias.

28167881_1773926742646033_8381706490509907499_n

Nós: Desde a formação da ideia, definição de um projeto e sua concretização, naturalmente, passaram por algumas dificuldades. Quais as principais dificuldades e contratempo que tiveram? Alguma vez pesaram em desistir ou as dificuldades surgem como desafios de crescimento, fortalecendo a vontade coletiva?

PQ: Não é fácil levar para a frente um projeto como este e sobretudo quando realizado à base do trabalho voluntário. Mas felizmente houve força de vontade e motivação suficiente para o concretizar. Foi um verdadeiro trabalho em equipa realizado por quase três dezenas de voluntários que ajudaram a recuperar o imóvel, a catalogar livros, a construir as prateleiras, etc.

Nós: Como conseguiram fazer afirmar a vossa ideia e obter a colaboração de outras instituições e apoio financeiro?

PQ: Aproveitámos a oportunidade do programa BIP-ZIP da Câmara Municipal de Lisboa e apresentámos uma candidatura que foi aprovada. E para o imóvel apresentámos a ideia à Santa Casa.

Nós: A Livraria Solidária é uma obra que pretende servir de “chapéu para um conjunto de outras atividades, de promoção de leitura e desenvolvimento local”, conforme anunciado na comunicação social. Pode-nos explicar como se propõem colocar em prática este desígnio e quais os projetos a desenvolver? Quais os conceitos que estão por base?

PQ: Com a abertura da Livraria Solidária outros projetos irão ter inicio como as Leituras ao domicilio a pessoas com mobilidade reduzida ou em risco de isolamento, assim como a criação de locais no espaço público para troca de livros. Por outro lado, uma vez por mês haverá um serão de contos em locais improváveis como lojas. Avançámos ainda com um prémio literário a decorrer até 31 de março. Iremos ainda avançar com um outro projeto social de aproveitamento dos livros em mau estado. Transformar o “lixo” em riqueza, envolvendo pessoas desempregadas.

Nós: Estando o vosso espaço localizado numa zona habitacional antiga, como está a ser a reação dos habitantes, dos outros organismos locais ao perceberem que o vosso projeto está a concretizar-se? Sentem que estão abertos à participação voluntária, à disponibilização de espaços para a concretização de ações de leitura?

PQ: Estamos a ser muito bem recebidos. Para a inauguração tivemos o cuidado de enviar uma carta a todos os vizinhos a dar-nos a conhecer e a convidá-los para a inauguração. E logo após a inauguração a zona ganhou vida e até… mais iluminação pública. Dois candeeiros públicos que há muito estavam avariados foram reparados.

Nós: Tendo em conta os vários projetos associados à Livraria, como é composto o “staff” da mesma, nomeadamente se têm pessoal qualificado ou foi necessário dar formação. Quem são os formadores também são voluntários? Que outros elementos compõem a equipa permanente?

PQ: O coletivo artístico de Boutique da Cultura é constituído por pessoas de diversas formações académicas. Quem está a coordenar esta área dos voluntários da Livraria é o João Borges de Oliveira, com formação na área e uma vasta experiência em trabalho em bibliotecas.

O funcionamento da Livraria Solidária é assegurada em permanência por voluntários, sendo dois deles ao abrigo do intercâmbio europeu, SVE. Um espanhol e um francês.

Nós: Foi fácil obter apoios de outras instituições e do Estado?

PQ: Nunca é fácil… Mas foi possível.

Nós: Já se conhece, através da comunicação social, o projeto “Leituras do domicílio”. Pode-nos explicar um pouco melhor como pretendem dinamizar, de que forma e como o pretendem fazer?

PQ: A ideia é levar a leitura e o livro a pessoas com mobilidade reduzida ou em risco de isolamento. Tivemos mais de 70 pessoas que se inscreveram como voluntários para este projeto. Já formámos os primeiros 25 que em breve irão para casa de pessoas sinalizadas por instituições locais. Irão estar… Irão ler para essas pessoas… Irão ouvir histórias…

Nós: Como podem os outros, contribuir para o vosso projeto? Podem oferecer livros, algum do seu tempo como voluntários? Qual é a melhor forma de contribuir?  Qual o site ou o email de contacto para questões relacionadas com voluntariado ou consulta dos livros disponibilizados, ou outras questões de índole diversa?

PQ: Estamos sempre disponíveis para receber doações de livros, excepto dicionários, enciclopédias e manuais escolares. Podem ser novos ou já lidos, em língua portuguesa ou estrangeira. Podem contactar-nos através do email livraria@boutiquedacultura.pt ou procurarem-nos no Facebook através da página da Boutique da Cultura.

A Livraria está aberta de 2ª a 6ª feira, das 14h30 às 19h30 e ao primeiro sábado de cada mês dentro do mesmo horário.

Nós: Será possível encontrar achados literários convidativos à descoberta da leitura?

PQ: Há livros muito antigos e de grande valor nas nossas prateleiras da Livraria.

Nós: “Um livro é a prova de que os homens são capazes de fazer magia”, Carl Sagan. A livraria solidária nasce para fazer e oferecer magia?

PQ: Claramente… Costumo dizer que Carnide “é um lugar único e mágico” e com esta Livraria tornou-se ainda mais mágica.

Também pode gostar

Sem comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *