#6 – O melhor amigo do homem!

“Os cães fazem parte da vida dos humanos. Mas para os cães, os humanos são a sua vida!“

A nossa Lady

A Lady ama absolutamente viajar! Estas últimas 24 horas foram vividas tão intensamente, que a adrenalina subiu com a azáfama dos preparativos para um fim-de-semana alargado que nem apresentamos ainda esta amiga de quatro patas. Esta cadela é simplesmente divinal, adora viajar e assim que sente alguma movimentação nesse sentido não mais pára numa agitação irrefreável. Seja qual for a aventura, está sempre pronta!

A nossa Lady, uma elegante pastora alemã, dourada preta, é muito inteligente e robusta, e acima de tudo muito calma e fiel, não esquecendo o quão é de obediente. Muita ligada à família e muito protetora da nossa filha Carminho. A sua casa é no quintal, mas sempre que pode esgueira-se para dentro da nossa. Adora jogar à bola e fazer exercício físico no campo e na praia, correr na areia ou dentro de água e obriga-nos a fazer também, acreditem. E no final uma boa escovadela ao seu pelo fá-la vibrar de emoção e contentamento. Gosta de ser estimulada a fazer truques e brincadeiras, obedecendo ao comando de voz.

A amizade da Carminho e da Lady

Veio para nossa casa ainda bebé, com a nossa filha também bebé. Tem agora 5 anos. Mas o vínculo criado entre elas é fortíssimo, parecem uma só. Se a Carminho está triste, a Lady percebe e interage logo, ou brinca ou deita-se ao lado dela com a cauda a abanar, muito dócil com a cabecinha em cima do colo dela, como que a dizer estou aqui, não estejas triste – é a terapeuta da Carminho, sempre pronta para um abracinho sincero … ahahah.

Devo confessar que os primeiros meses não foram fáceis com a cachorra a morder em tudo o que podia e não podia. De noite chorava imenso, não queria estar sozinha, respeitamos o seu tempo de aprendizagem e com amor tudo se resolveu. Fomo-nos adaptando e ela crescendo e tudo passou e hoje o amor que sentimos é idêntico ao que se sente por um ser humano e retribuído com muito afeto e doçura.

Fazendo justiça ao propósito da sua raça, de caráter nobre, leal e fiel ao seu dono, a Lady nunca deixa a sua dona sempre que pressente alguma dor, mágoa ou até mesmo zanga naquele pequeno corpinho da Carminho. É enternecedor ver como fica aflita e como se deita ao seu lado ou anda atrás dela (que nem cachorro), em modo apaziguador, como que a dizer não te preocupes estou aqui contigo.

Prova de amor

Em 5 anos de convívio, muitas histórias se poderiam contar, mas a que recordo com alguma intensidade, é aquela em que encontrei a Carminho prostrada no chão do quintal e cheia de febre, não fora o ganir da cadela que corria desenfreadamente de um lado para o outro como que a chamar a nossa atenção e que por instantes sem saber o verdadeiro motivo me deixou louca de irritação, mas cuja ação foi prodigiosa. Foi sem sombra de dúvidas uma prova de amor, não só o pedido de socorro como nos dias subsequentes, manteve-se deitada no chão ao lado da cama dela até ela não precisar mais de cuidados, num sofrimento constrangedor. A alegria voltou após as melhoras da sua dona – era vê-las felizes e brincalhonas.

E ainda uma outra, tão real quanto a primeira história. O nosso quintal tem várias árvores de fruto, incluindo duas figueiras. Logo pela manhã a mãe ia apanhar figos e tinha por hábito subir às árvores. Eu e o meu marido ajudamos mas tínhamos de ir trabalhar e ela lá ficou na sua tarefa. As portas estavam abertas e de repente a cadela entrava e saía a correr a ladrar sem parar, chegava ao pé de nós dobrava as patas da frente e de seguida pulava e disparava a correr para o quintal, como que a alertar para algo. Mas a correr andava eu para ir trabalhar.

Eu sem perceber que a Lady não me estava a chamar para a brincadeira, zangada fui atrás dela para a castigar, pois a Carminho dormia, foi quando encontrei a minha mãe no chão. Os ramos da figueira tinham-se partido e ela veio por aí abaixo junto com os ramos, ficando inanimada. Sorte a dela que lhe amorteceram a queda e acabou apenas com uns arranhões e umas nódoas negras.

Amizade canina

Mas saber que a nossa cadela é nossa protetora e que nos avisa em caso de perigo ou acidente, deixa-nos tranquilos e felizes – em resumo, às vezes vale a pena perder alguns instantes para tentar interpretar a mensagem que o melhor amigo do homem nos quer transmitir.

A sociabilidade entre cães e humanos é bem demonstrativa da amizade entre eles. A dar razão ao que todo o mundo afirma que o cão é o melhor amigo do homem também será verdade que o homem é o melhor amigo do cão.

E agora feitas que estão as apresentações aí vamos nós para mais uma aventura e companheirismo entre família e amigos, não esquecendo evidentemente a amizade canina.

Também pode gostar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *