À conversa com Rui Raposo…, o projeto Oládia

À conversa com Rui Raposo, vamos conhecer o mundo maravilhoso de Oládia. Despertar a curiosidade das crianças e prender-lhes a atenção não é tarefa fácil! Rui Raposo, designer gráfico, soube usar a sua grande criatividade para transformar as vivências como pai atento, em fantásticas histórias repletas de belas ilustrações que prendem os mais jovens e encantam os adultos.

 

Fale-nos um pouco de si, dos seus interesses e paixões.

Chamo-me Rui Raposo, o pai do Dinis e tenho 41 anos e sou casado. Sou designer gráfico de vocação e profissão e sempre gostei do que faço, por isso não encaro a minha profissão como uma obrigação.

Gosto de realizar atividades ao ar livre, especialmente no meio da natureza que é onde me sinto em casa. Gosto de fazer BTT ao fim de semana com os amigos e pratico JUDO no mesmo clube que o Dinis.

Dou prioridade ao tempo passado em família e o trabalhar em casa permite acompanhar o meio familiar de forma mais ativa.

 

Quando começou a trabalhar na área criativa? Como surge o seu estúdio de design gráfico?

Comecei a trabalhar na área criativa aos 18 anos e nunca mais parei até aos dias de hoje, tirei a licenciatura em Design Gráfico no IADE e passei por algumas empresas que me permitiram adquirir as competências para criar o meu próprio negócio, era algo que já desejava. Em 2009 (ano que nasceu o Dinis) criei a empresa Cria Impacto, e de repente já passaram 10 anos a voar, a tecnologia permite-me fazer a gestão dos projetos e equipa, trabalho com clientes de vários pontos do mundo (Angola, Abu Dhabi, Timor). Eu é que organizo o meu horário e o tempo ganho em família é muito maior, ao nível da rentabilidade é mais vantajoso pois na área criativa não se pode restringir a imaginação a horários fixos de trabalho. Uns dias chega-se à solução de manhã e noutros só a altas horas da noite é que se consegue atingir o pretendido.

Gosto muito do que faço e isso faz com que tenha sempre presente a preocupação de continuar a crescer e a evoluir.

 

……………………………………………………………                    .História – compras de Natal

 

Cremos que é um pai dedicado. A sua experiência como pai mudou a sua forma de agir, de encarar o trabalho e a vida?

Sim, mudou a forma de encarar tudo, antes do Dinis nascer não me importava com horários de trabalho e nem notava que o tempo estava a passar muito depressa. Com o nascimento do Dinis percebi que teria de mudar de estilo de vida, o trabalhar por conta própria iria permitir um horário mais flexível e assim não teria de perder os melhores momentos da vida dele.

Quando tomamos decisões para a nossa família, inconscientemente é ele que está sempre em primeiro lugar no nosso pensamento.

.
Como surge o projeto “Oládia”? O nome que escolheu tem algum significado para si ou escolheu-o apenas pela sonoridade da palavra?

A primeira palavra que o Dinis disse foi “Olá”, repetia-a constantemente e quando acordava tinha sempre um sorriso na cara, era uma criança muito bem-disposta. Eu desejava que o nome representasse continuidade e “Olá” não tinha esse atributo, acabei por adicionar a palavra “Dia” para representar um renascer cíclico diário de novas aventuras em família. O nome Oládia também remete para um novo mundo, diferenciando e criando assim uma relação entre o real e imaginário, pois ambos se cruzam muitas vezes nas histórias.

………………………………………………………………..                .A história da Raposa
As suas histórias são muito criativas e mostram uma salutar envolvência com a natureza. Como surge a inspiração para escrever as suas belas histórias? Ao escrever uma história quer também transmitir alguma lição aos mais pequenos?

Cá em casa gostámos muito de estar em contacto com a natureza, especialmente o Dinis, por ele estaríamos sempre no meio de uma floresta ou no campo a brincar. Numa das histórias peguei no facto do Dinis adorar fazer caminhadas na Serra da Arrábida, assim criei a história onde uma raposinha, animal que está ligada à nossa família (sobrenome Raposo) ajudar o Dinis a encontrar a mãe que se separa dele no início da história (houve uma altura que o Dinis tinha medo de se perder e utilizei esse elemento na história).

Todas as histórias têm algo baseado no quotidiano do Dinis ou nas brincadeiras dele. O processo e responsabilidade criativa complica-se nesta seleção, não é fácil pegar em elementos da realidade e converte-los numa história/ilustração que faça sentido num mundo de fantasia. No final de cada história tento passar uma mensagem positiva, pois são essas mensagens/valores que passo ao Dinis.

.
Quanto tempo demora a construir a história e a fazer os desenhos que ilustram as personagens?

Cada desenho demora cerca de 2/3 dias a fazer, alguns mais outros menos, depende da história e elementos novos que apareçam na mesma. Em relação às histórias, não seguem um padrão tradicional de criação, pois vão sendo construídas à medida que os posts vão saindo no Instagram, é claro que existe uma linha condutora, mas algum acontecimento da vida familiar pode servir para eu alterar a história de um momento para o outro. Existem histórias que acabam de forma completamente diferente do que eu idealizei no início da mesma.

.

Pretende levar o mundo fantástico de Oládia a mais crianças?

Sim, inicialmente comecei por apenas tentar construir uma base de lembranças e memórias digitais para o Dinis quando fosse adulto. Mas o crescimento na plataforma Instagram fez com estas histórias chegassem a mais pessoas/crianças. Espero que no futuro a rede de Oládiões (é o nome que eu dou aos meus seguidores) continue a aumentar.

……………………………………………………………                História da Raposa

 

Já pensou em editar um livro com as histórias de Oládia?

A possibilidade de colocar os desenhos/ilustrações em livro já foi pensado, se receber uma boa proposta de publicação, por parte de uma editora, as aventuras poderão passar para livros, conteúdos para novas histórias não faltam. Seria interessante criar histórias exclusivas num suporte diferente do Instagram, sempre gostei do toque e textura do papel, grande parte da minha formação em design teve uma ligação forte com as gráficas e impressão. Quem sabe se um livro não será uma realidade num futuro próximo.

 

Com tanta criatividade, que outros projetos sonha fazer no futuro?

Apenas o futuro o dirá, isto começou com um simples pedido de uma educadora à muitos anos que ficou adormecido, o objetivo de construir uma base de lembranças e memórias para o Dinis está a crescer de uma forma que eu não esperava. Foi a minha mulher que sugeriu passar as histórias para o Instagram de forma a ficarem gravadas no mundo digital e assim também poderem ser partilhadas e lidas por todo o mundo, a aceitação por parte das pessoas tem sido muito boa, o que tem levado ao crescimento e à continuação deste projeto. Muitas vezes é difícil ter tempo para desenvolver todo este trabalho/mundo, Oládia é um projeto apenas financiado pelo “amor” e eu já tenho uma vida profissional que requer bastante dedicação.

Tenho muito conteúdo para produzir novas aventuras, uma criança de 10 anos é uma explosão de ideias, emoções e brincadeiras.

Espero que o Oládia continue a crescer e se possível, gostaria de ver as histórias evoluírem para livros, e quem sabe, para outros meios.

 

…………………………………………………………………………….A história de Frileão

.

Que mundo fantástico quer deixar para o seu filho?

Quero deixar um mundo de lembranças e memórias para que o Dinis nunca esqueça a infância que teve.

Já que o nosso mundo real não pode ser perfeito, em Oládia tudo pode acontecer de uma forma fantástica onde valores como o respeito, a amizade e o amor estão sempre presentes. Cá em casa costumamos dizer muitas vezes que o mais importante é a família, pois todos os desafios se tornam mais fáceis quando temos o amor daqueles que são próximos.

 

 

Site Oládia: https://oladia.com/

Instagram: https://www.instagram.com/oladia_insta/

 

 

 

 

 

Também pode gostar

Deixar uma resposta