À conversa com Daniel e Eneide – O projeto Gira Terra

Gira Terra- Oficina de Artes, é um projeto que nasceu da paixão de Daniel e Eneide pela arte da Olaria.

Daniel e Eneide são apaixonados por arte da olaria, mas também pela terra e pelas pessoas, tiveram o sonho de criar um espaço onde pudessem reunir diversas formas de expressões artísticas. Esse sonho foi concretizado na bela cidade do Porto. Numa época de rápidas mudanças e de vidas apressadas, conheça o projeto “Gira Terra” que procura promover saberes, artes e costumes em equilíbrio com o que nos rodeia.

Fazer “girar a terra” com amor e arte, é sem dúvida um trabalho inspirador que merece ser partilhado.

 

“Gira Terra (gira de legal, bacana, mas também de girar a terra, a argila na roda) e esse nome faz toda a diferença.

No nosso espaço realmente as boas energias giram ao redor de todos e de tudo.

 

Falem-nos um pouco sobre a motivação que os levou a criar o projeto “Gira Terra”?

Há muito tempo que nos interessamos pelos mais diversos tipos de manualidades. Daniel e Eneide somos casados, ambos brasileiros, apaixonados por arte, pela terra, pelas pessoas. O Daniel, ainda no Brasil, enquanto frequentava o curso de roda de oleiro no Espaço Integrado Paula Unger, encontrou aquilo que gostaria de fazer para sempre. Junto da minha esposa, minha parceira de vida, também amante das artes, das cores, surge a ideia de transformar esse hobbie como meio de vida. O projeto surgiu ainda quando morávamos na Irlanda onde tivemos um breve contacto com a cerâmica local. Quando decidimos vir para o Porto logo percebemos que seria aqui que daríamos vida a esse nosso sonho e, cá chegando, iniciamos o que hoje é a Gira Terra.
E assim nasceu a Gira Terra Oficina de Artes!
Gira Terra – A Arte da Olaria

 

O nome que elegeram “Gira Terra” é curioso e fica na memória facilmente. Como aconteceu esta escolha deste nome?

Pensamos em algo que tivesse tudo a ver com a argila que é nosso principal foco e colocar Gira Terra (gira de legal, bacana, mas também de girar a terra, a argila na roda) e esse nome faz toda a diferença em nosso espaço realmente as boas energias giram ao redor de todos e de tudo.

 

Quais os principais objetivos?

O nosso objetivo é fazer com que a arte da olaria, um tanto desvalorizada e preterida, possa renascer fazendo com que mais pessoas se interessem e busquem esta arte, seja como profissão ou simplesmente como hobby. Além de criar um verdadeiro intercâmbio entre os diversos tipos de expressão artística, uma troca de experiências entre as pessoas que compartilham o espaço.
Gira Terra

 

A quem se dirige o projeto? Apenas aos habitantes locais?

A ideia é de que todos tenham acesso ao nosso espaço, desde o artista mais experiente que pode encontrar aqui um ambiente acolhedor e familiar para executar os seus projetos a quem nunca teve contacto algum com as artes tem a oportunidade de aprender aquilo que mais lhe atrai. Todos são bem vindos ao nosso espaço!

 

Possuindo também uma loja de venda ao público que artigos têm disponíveis?

Na nossa loja temos as cerâmicas que são produzidas por nós no nosso espaço (utilitários e decorativos). Também produzimos peças sob encomenda. Os colegas artistas que realizam workshops no nosso espaço, também têm oportunidade de ter seus trabalhos expostos na loja.

 

Na vertente educativa possuem uma oferta variada de cursos que obriga a ter formadores com competências diversas. É fácil encontrar pessoas interessadas e com o conhecimento necessário para lecionar esses cursos? São pessoas locais ou vêm de diversos pontos do país?

No começo houve certa dificuldade de conseguirmos profissionais aqui no Porto, mas por meio de conversas com outras pessoas, clientes e amigos além das redes sociais aos poucos preenchemos o nosso espaço com profissionais de grande talento e competência das mais diversas artes. Na sua grande maioria são locais, mas temos também temos outras nacionalidades realizando as oficinas e cursos no nosso espaço.
Gira Terra – Criação de uma peça

 

Como tem sido a recetividade à vossa oferta formativa? Qual o tipo de perfil e idade de quem vos procura para aprender uma arte?

Quem nos visita, tem mostrado grande recetividade pelos nossos cursos e acabamos por ser conhecidos como um espaço que dispõe de oficinas de diversas disciplinas. No nosso espaço recebemos desde crianças de 4 anos até adultos de 70 anos. Uns trazidos por seus pais em busca de ambiente lúdico e criativo e outros em busca de um lugar para aprender algo novo, relaxar e desfrutar de uma boa conversa entre amigos e a tranquilidade do nosso jardim.

 

As peças feitas pelos alunos também ficam à venda?

Não. Todas as peças produzidas pelos alunos ficam para eles utilizarem da forma que desejarem. Normalmente eles oferecem suas peças como prenda.

 

Um ponto de encontro de arte onde a inspiração acontece. O que mais têm para oferecer a quem quer inspirar e ser inspirado?

No nosso espaço tratamos os nossos alunos como uma grande família, o que faz com que todos que aqui entram se sintam realmente em casa. Procuramos oferecer um ambiente propício para que se desenvolvam no processo criativo. Participamos ativamente nos seus projetos dando opiniões e guiando-os durante a execução.
Para quem gosta de degustar um snack num ambiente descontraído temos um café onde dispomos de bolos, quiches, saladas, sopas, sumos, café, chá para serem degustados no nosso belo jardim.

 

Em vossa opinião há uma responsabilidade da geração atual na transmissão de conhecimento e de valores para a geração seguinte?

Sem dúvida! Conhecimento, valores e cultura devem estar sempre em constante movimento, sempre passados adiante.

 

Também está nos vossos objetivos realizarem exposições de arte? Que outras ações têm previsto vir a desenvolver no âmbito do vosso projeto?

Temos pensado muito neste assunto e em breve teremos novidades abrindo o nosso espaço para exposições ou até mesmo uma pequena feira no nosso jardim. Para o futuro, estamos com um projeto ainda em desenvolvimento de fazermos parceria com escolas levando até elas e seus alunos a possibilidade de contacto com as técnicas e processos da produção de peças em barro tanto pela roda de oleiro como pela modelagem em argila despertando assim o interesse pela cerâmica além de auxiliar no desenvolvimento pessoal da criança e do jovem.

 

Querem deixar alguma mensagem ou apelo específico?

Toda forma de cultura, de arte e o seu ensino, deve ser disseminada, estimulada e incentivada.

 

Vídeo de Daniel e Eneide:  Modelagem – Gira Terra, Oficina de Artes

Facebook:  https://www.facebook.com/giraterraoficinadeartes/

 

 

Também pode gostar

Deixar uma resposta