Animais de Estimação – Uma gata na minha vida!

Advertisements

Aconteceu uma… gata na minha vida! – Um encontro inesquecível que marcou o início de uma bela amizade.

O Encontro

Naquele dia cinzento de outono quando ia a conduzir reparo num gato, por sinal uma gata como mais tarde descobri, à beira da estrada, era tão bebé! Parei de imediato o carro e devagarinho fui ao encontro da bichana. O medo que senti que ela fugisse para o meio da estrada, foi avassalador.
Mas por incrível que pareça, ela estava tão assustada quanto eu e não se mexeu do lugar. Apenas miava sem parar. Agarrei-a ao colo e ela continuava a miar mas parecia acomodada nos meus braços como que a dizer adotei-te como minha ”mãe”, vá lá dá-me de comer que tenho fome e leva-me para um sítio acolhedor e quentinho que eu sou uma boa menina… Não podia ficar indiferente. Adotei-a logo ali!
Devo confessar que a viagem foi difícil, ela não parava de miar, a pobre para além da fome devia estar assustada e não podia ir ao meu colo porque estava a conduzir.

A “Mia”

Levou algum tempo até chegar a casa. Ainda fui comprar comer para a “Mia”, nome que dei por tanto miar dentro daquele carro.
Chegadas a casa e de papinho cheio era vê-la feliz e contente a passear pela casa, a marcar o seu território. Tão esperta… foi ela que definiu o seu espaço para comer, parecia que aquele canto tinha sido escolhido de propósito para ela. Aproveitei a deixa e coloquei também aí a sua casa de banho, á qual ela aderiu de imediato, tão segura ela estava do que queria para si. Magnífico, gata esperta que eu arranjei… tudo estava a correr sobre rodas, ou melhor sobre patas, já que ela corria de um lado para o outro, como que a demonstrar toda a sua felicidade.
Mãe, nunca imaginei partilhar a minha vida com um animal de estimação e muito menos com uma gata … mas é impossível ficar indiferente a esta patuda tão fofinha.

E os dias passaram…

Num piscar de olho, passou mais de um ano desde que a adotamos e que felizes somos por o termos feito. Sim eu também adotei a gata da minha filha. Criar uma gatinha não é tarefa fácil. Algumas arrelias tem sido vividas, a sua tão conhecida teimosia, o saltar para cima da mesa, o destruir cortinas ou comer plantas (tiveram de ser tiradas) principalmente quando fica sozinha em casa. Ensinar a esta fofinha o cumprimento das regras tem sido tarefa difícil.
Ainda assim tem dado muitas alegrias, mimos, aquele seu famoso ronronar em sinal de afeição, a turrinha que tanto gostamos, e apesar de possuir uma personalidade vincada e individualista tem ajudado a superar esta pandemia com as suas lambidelas, brincadeiras que nos fazem sentir de coração cheio por tanto amor presenteado.

Ficam aqui algumas fotos da nossa MIA de quatro patas!

Também pode gostar

Leave a Reply