Barcelos e o Galo

Num país constituído por várias regiões tão diversificadas e únicas nas suas paisagens, costumes e gastronomia, vamos hoje situar-nos no Minho. O Minho constitui um território português virado para o Atlântico, caracterizado pelo verde da vegetação, própria de um clima frio e húmido que se aproxima, um pouco, do Norte da Europa.

Neste território onde se situa a cidade que viu nascer Portugal, Guimarães, existem inúmeros locais, produtos de artesanato, gastronomia e o tão especial vinho verde, romarias e outros, que são ímpares e merecem ser apreciados e documentados mais detalhadamente. No entanto, hoje queremos falar-lhe de Barcelos e de um dos seus produtos artesanais nativos, tão típicos e criativos, o “Galo de Barcelos” que se tornou num símbolo da cidade, da região, do país e faz o deleite dos turistas. Na sua origem e durante largos anos, a tradição originou a produção de “Galos de Barcelos” muito idênticos. Hoje em dia, o “Galo” tem vindo a ganhar novas formas e cores como resultado da inspiração de artesãos contemporâneos que foram diferenciando adequando-a a um gosto mais atual e voltado aos turistas.

Visite a cidade de Barcelos e toda a sua envolvente de uma beleza única, com inúmeros monumentos que nos transportam para os tempos da origem do nosso país. A tradicional hospitalidade das pessoas e a sua gastronomia rica, fazem deste local um sítio de destaque que merece ser visitado. É este conjunto de monumentos e cultura tão genuína que fazem de nós o país que somos hoje e que está a maravilhar um grande número de turistas.

A propósito do objeto de artesanato “O Galo de Barcelos”, durante a visita à região e à cidade garantimos que é impossível não resistir aos sabores da gastronomia tradicional muito rica e variada desde os doces aos pratos de rojões, bacalhau, papas de sarrabulho, e a um dos principais pratos tradicionais de Barcelos um delicioso “galo assado à moda de Barcelos” acompanhados de um excelente vinho verde da região. Este prato possui uma forte ligação à Lenda do Galo de Barcelos que pode ler aqui.

Também pode gostar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *