À conversa com Madalena Silva, a mulher e escritora

A história de coragem e de superação de Madalena Silva é, sem dúvida alguma, inspiradora e motivadora no caminho da libertação. Movidas por uma vontade de ser ativas em prol de uma sociedade mais equilibrada, justa e feliz, fizemos um pedido de entrevista escrita que Aqui partilhamos.

“Escrevo desde miúda, e sempre sonhei um dia escrever um livro, mas nunca pensei que fosse de um tema tão cruel. Na escrita sinto a forma de poder “gritar” o que muitas não conseguem, liberto-me a cada dia mais e mais, e sobretudo ajudo, sinto inclusive que estou numa missão.” 

.

.

Fale-nos um pouco de si, das suas origens e percurso de vida
Madalena Silva: Sou natural do norte, nasci numa aldeia perto de Mirandela, aos 18 anos rumei ao Algarve à procura de uma vida melhor, mas as saudades da minha mãe que tanto amei eram tantas que um ano depois regressei, estando mais um na terra.
Aos 20 vim atrás de uma irmã para Lisboa, onde continuei os estudos e fiz algumas formações profissionais.
E aos 30 e poucos anos casei com o pai do meu filho, que também vivia no norte, divorciado-me 11 anos depois.
.
.
Sabemos que já publicou 3 livros, como surgiu a ideia de escrever e publicar?

Madalena Silva: Sim, lancei 3 livros. O primeiro em 2013 com a minha história de vida, Renascida, onde relato a violência doméstica que vivi durante mais de 10 anos. E como me consegui libertar.

Escrevo desde miúda, e sempre sonhei um dia escrever um livro, mas nunca pensei que fosse de um tema tão cruel. O que me levou a fazê-lo foi tentar ajudar ao máximo outras vítimas, dando assim a conhecer a minha história de vida.
Em 2015, e porque andei quase 3 anos em tudo que era programas, muitas eram as vítimas que me contactavam a contar as histórias delas, mas no silêncio. Lancei então o segundo, com 16 relatos que mais me marcaram de outras vítimas, intitulado Eu Sou a Voz dos Silêncios.
E porque já ajudo pessoas há 5 anos no meu silêncio, em Dezembro último lancei o terceiro, desta vez sobre crianças os filhos das vítimas, estes são tão ou mais vítimas do que nós, ficam após uma vivência de mau ambiente com sequelas e traumas. Comecei por relatar o caso do meu filho, um adolescente hoje com 18 anos.
.
.
Para si a escrita é um processo libertador?

Madalena Silva: Na escrita sinto a forma de poder “gritar” o que muitas não conseguem, liberto-me a cada dia mais e mais, e sobretudo ajudo, sinto inclusive que estou numa missão.

” ...senti que tinha que sair daquela vida, que não podia sujeitar mais o meu filho a viver assim…

Mas, foi por incrível que pareça que por ele me sujeitei ainda a continuar naquela vida…”

 

O livro “Renascida” reflete a sua história de vida real. Pode falar-nos um pouco sobre isso?

Madalena Silva: O primeiro livro Renascida, relata a minha história de vida, onde o amor se pode transformar sem imaginarmos num grande inferno, num grande pesadelo… E de facto, foi o que vivi 11 anos com o pai do meu filho, onde fui maltratada fisicamente e psicologicamente.

 

Escolheu escrever sobre a sua experiência de vida e como ela afetou o seu filho. Quando e como sentiu consciência que o seu filho sofria e que tinha de fazer algo não só por si, mas também por ele?

Madalena Silva: Para ser sincera, sempre senti que tinha que sair daquela vida, que não podia sujeitar mais o meu filho a viver assim… Mas, foi por incrível que pareça que por ele me sujeitei ainda a continuar naquela vida…

Mas, por ele, e por mim em 2009 disse Basta.

Que conselho quer deixar a outras mães que se encontrem a viver situações idênticas?

Madalena Silva: O conselho que dou, a todas as mães é que não deixem que o tarde destrua a vida dos seres mais inocentes desta vida, que são os nossos filhos.

Não permitam que por medo, necessidade ou capricho retirem a vida a estes seres, a vida saudável que tanto merecem,e que de outra forma deixam marcas para sempre.

“Porque também eu Vivi, também eu Senti…”

.
Fale-nos um pouco do livro “Eu sou a voz dos silêncios” pois também nós queremos colocar um sorriso no rosto de quem nos lê – “Quem me dera limpar de vez essas lágrimas, que em silêncio derramas, e colocar-te o meu sorriso.”

Madalena Silva: Como já referi em cima, esse foi um livro, onde sou a Voz de todos os silêncios.

Porque também eu Vivi, também eu Senti, também eu Sofri o que estes silenciados passam ou já passaram.

Então vamos dizer Sim à vida, ao amor por nós, pelos nossos filhos e pelo que devemos estar gratos à Vida.

Recentemente lancei um projeto que se chama yes life coaching, onde tratos diversos problemas, num processo de auto ajuda e auto estima.
.
.
Para si é difícil falar com outras pessoas que, tal como aconteceu consigo, viveram o terror da violência doméstica?

Madalena Silva: Será sempre difícil falar neste assunto por muito forte que seja, e tenho alturas que vivo mesmo o drama das pessoas que me procuram, mas faz parte, só assim me sinto feliz poder ajudar, quem me dera ter tido esta ajuda quando tanto precisei.

Depois de dois livros já publicados, o que considerou que faltou dizer para fazer emergir o livro  “Sim, sou diferente”?

Madalena Silva: Este terceiro livro fazia todo o sentido, porque escrevia só em nome da vítima homem ou mulher, e não relatava com intensidade os filhos que sofrem ainda mais que nós neste ambiente, por ter um filho com marcas profundas Sim, Sou Diferente era um complemento dos outros dois.

” …consegui alcançar o melhor a Paz, e se tivermos isto, já somos felizes.”

.
Como é hoje a sua vida? Considera-se uma mulher feliz que vive em harmonia com o seu filho?

Madalena Silva: Falar da felicidade, é como falar da vida, teria que escrever outro livro… A felicidade são momentos, que muitos os têm ou não… Posso dizer-lhe que tenho agora o que não tive em 21 anos da minha vida, dado que tenho tido uma vida difícil.

Mas agora consegui alcançar o melhor a Paz, e se tivermos isto, já somos felizes. Tentar ao lado do meu filho, aquele que sujeitei tantos anos a tanta maldade humana, vivermos em união, amor e felicidade.
.
Quer falar-nos um pouco sobre projetos futuros?

Madalena Silva: Como já referi acima lancei um projeto recente onde ajudo pessoas através do processo de Coaching vários problemas.

Vou a um grande congresso este mês ao Porto de Pediatria sobre crianças, apresentar o meu novo livro, e o meu maior sonho é no futuro dar palestras vocacionada na auto ajuda pessoal.
.
Que mensagem quer deixar a quem nos lê, independentemente da história de vida que têm?

Madalena Silva: Quando pararmos 1 minuto para pensar em nós, que seja apenas com um propósito, meu Deus, gratidão por estar nesta caminhada a que chamamos Vida. Viver é das melhores coisas que possam existir.

“…sinto-me feliz poder ajudar, quem me dera ter tido esta ajuda quando tanto precisei.”
Já no próximo dia 25 de janeiro, no decurso do Congresso de Pediatria que acontece no Porto, com a presença do reconhecido Investigador Cientifico, especialista em Violência Doméstica o Dr. Miguel Rodrigues, Madalena Silva fará a apresentação do seu novo livro e do projeto de Coaching.

 

Se sente que necessita de apoio não hesite em procurar ajuda. Lembre-se que outros superaram o medo conseguindo a libertação …
Se ainda não conhece, não deixe de ler os livros de Madalena Silva, que aqui foram referidos.

Também pode gostar

Deixar uma resposta