Aprendamos o rito

Rosa do jardim

“Aprendamos o rito” um poema de José Saramago que hoje partilhamos e que pode ouvir na magnífica voz de Carlos do Carmo, em lembrança de quem atravessa, sozinho, períodos difíceis da vida, ou de quem perdeu os seus entes queridos, os seus companheiros da vida. Para todos, as rosas frescas do nosso jardim.

“Traz as rosas mais frescas do jardim”
Rosas frescas do jardim

 

Se hoje estamos acompanhados e mais ou menos felizes, não podemos deixar de pensar que um dia podemos sentir, de forma dolorosa, a ausência de quem mais amamos.

 

Aprendamos o rito

Põe na mesa a toalha adamascada,

Traz as rosas mais frescas do jardim,

Deita o vinho no copo, corta o pão,

Com a faca de prata e de marfim.

 

Alguém se veio sentar à tua mesa,

Alguém a quem não vês, mas que pressentes.

Cruza as mãos no regaço, não perguntes:

Nas perguntas que fazes é que mentes.

 

Prova depois o vinho, come o pão,

Rasga a palma da mão no caule agudo,

Leva as rosas à fronte, cobre os olhos,

Cumpriste o ritual e sabes tudo.

 

José Saramago
Os Poemas Possíveis

 

Saiba mais em Fundação José Saramago

Carlos do Carmo, Aprendamos o rito

O poema “Aprendamos o rito” na voz de Carlos do Carmo

 

Também pode gostar

Deixar uma resposta