Luz, um texto de Vítor Encarnação

Pássaro no céu

Luz, um texto de Vítor Encarnação que hoje escolhemos para partilhar pois, em especial nos tempos que vivemos, todos precisamos de manter a esperança na vida que recomeça em cada primavera.

 

A noite morre para o dia viver. É assim todo o amor. E são os pássaros que cá ficam que limpam o firmamento e abrem as portas para a chegada das andorinhas. Quando elas vierem saberemos todos que a vida recomeçará, saberemos todos que nada morreu a não ser os homens e as mulheres que partiram.

 

 

Luz

Todos os dias cresce um bocadinho mais os braços ao dia. O sol demora-se um pouco mais e lentamente a claridade cresce e ganha terreno, perdura no ar por mais tempo, coisa pouca, fogachos, arrebatamentos. Um nada hoje, outro nada amanhã. Gota a gota de luz. Os pássaros agradecem e guardam-na dentro dos olhos e das asas. Precisam dela para esticarem o horizonte, são eles que mais de perto falam com o sol.

O sol também tem asas, o sol é um pássaro incandescente a voar. E ele sabe que só é livre de dia. De manhã foge da gaiola da noite, mas a noite não lhe perdoa, a noite espera-o sempre, a noite marca-lhe a hora para ele voltar.

E todos os dias, daqui para a frente, dá-lhe mais um bocadinho para ele brilhar, mais um bocadinho para ele alumiar a vida. À custa da própria noite. A noite morre para o dia viver. É assim todo o amor. E são os pássaros que cá ficam que limpam o firmamento e abrem as portas para a chegada das andorinhas. Quando elas vierem saberemos todos que a vida recomeçará, saberemos todos que nada morreu a não ser os homens e as mulheres que partiram. Tudo o resto está prenhe.

E tudo há de renascer debaixo de nós, dentro de nós e sobre nós. E quando a vida parir não será em silêncio, será de cores aos gritos, será de mantos de luz.

 

 

 cores aos gritos, mantos de luz
Obra da artista Marcia Dias – “E quando a vida parir não será em silêncio, será de cores aos gritos, será de mantos de luz.”

 

Conheça a artista plástica Marcia Dias e algumas das suas obras.

 

A imagem da capa deste texto é de autoria de Misetas

 

Do autor Vítor Encarnação pode ler:

Encruzilhada, um texto de Vítor Encarnação;   Abraço, um texto de Vítor Encarnação    Vinho, Vítor Encarnação;  

A serenidade nos tempos de vírus – Vítor Encarnação    Flor de Laranjeira, Vítor Encarnação 

Já nada existe antes da primavera, Vítor Encarnação  Amor impossível, Vítor Encarnação

Levantar Cedo, Vítor Encarnação    Estiagem, Vítor Encarnação

Esquecimento, Vítor Encarnação  Língua mãe, Vítor Encarnação     Azeitonas, Vítor Encarnação

Hora Zero, Vítor Encarnação    Autoestima, Vítor Encarnação    O Livro do Tempo, Vítor Encarnação

Contentamento, Vítor Encarnação    Labirinto,  Vítor Encarnação      Entrevista de Vítor Encarnação

Também pode gostar

2 comentários

Leave a Reply