À conversa com Márcia Dias, artista plástica

Marcia Dias, artista plástica

Marcia Dias recebeu-nos para, numa conversa informal e muito espontânea, nos falar de si enquanto artista plástica e das suas obras.

Como irá perceber ao longo desta entrevista, Marcia Dias é uma mulher fascinante.

Apresentou-se como uma artista que sente e vive a energia positiva do Sol. O Sol como fonte de vida, luz e calor que a inspira e reflete a personalidade desta artista, uma mulher exuberante e calorosa, mas de uma simplicidade surpreendente.

 

 

“Eu só pinto quando a noite se cala … com barulho e ruído não pinto: transporto emoções, estado de espírito para a tela mas só no silêncio”

“Dou a conhecer a minha personalidade através da pintura”

 

Marcia Dias, 20 anos de arte

Há cerca de duas décadas que a artista plástica Marcia Dias se apaixonou pela pintura. A sua veia artística surge da sua estadia por terras nórdicas, a Suécia.

Natural de Angola, era ainda uma criança quando uns amigos do pai, residentes na Suécia, a receberam de braços abertos. Foi nesta península Escandinávia que cresceu, estudou e despertou para a arte. Aos 20 anos, procurando um clima mais ameno e acolhedor, vem para Portugal.

O seu talento como artista plástica emerge e Márcia Dias faz várias formações na área das artes especializando-se em várias técnicas. Perfecionista, vai estudando e ensaiando a pintura durante vários anos.

A conversa flui animada, a empatia arrebatou-nos, a oradora sui generis prendia-nos a atenção “… 20 anos dedicada à arte e à cultura”. Mas nem sempre foi assim “andei muitos anos no deserto a pintar para camelos até alguém me descobrir, um colecionador. E foi a partir daí que percebi que nasci para pintar. Até aí pintar não era uma profissão era uma realização pessoal”.

Apenas fez a exibição pública das suas obras, quando considerou que as suas criações artísticas estavam em condições de ser apresentadas.

A primeira exposição pública foi cuidada ao pormenor. Para que o seu propósito fosse alcançado com sucesso, tudo é preparado criteriosamente. Escolhe o local do evento, um hotel na capital e contrata uma profissional para o organizar. Soube criar suspense, durante o jantar manteve as suas obras expostas nas paredes da sala de jantar do hotel, tapadas com panos negros. Só depois de terminado o jantar e de uma breve apresentação da artista, exibe uma a uma as suas obras, desvendando-as e dando-as a conhecer. Foi o seu primeiro sucesso como pintora!

Marcia Dias refere-o como um “acontecimento inesquecível”.

 

Em tudo o que pinta põe um pouco de si

A sua pintura revela as suas raízes e dão a perceber o seu amor por África e em particular pelo seu país Angola.

É a paixão pela pintura que sente como um ato livre e criativo, a paixão pela sua terra, que fazem de Márcia Dias uma artista ímpar.

 

“Eu não me inspiro em temáticas, nem em objetos A pintura para mim tem de transmitir a liberdade de criar.

Gosto de pintar a natureza, poesia, emoções e sentimentos”

 

É essa liberdade de criar que transporta para as suas obras e nos emociona e encanta. Marcia Dias mergulhou no presente e reencontrou a alma africana, a beleza das espetaculares paisagens africanas, das figuras e dos rostos femininos e da vida animal selvagem. O sol e a luz estão presentes na maioria das suas obras bem como a predominância das cores alegres tão características da sua terra natal – Angola, e revelam a força e a delicadeza dos detalhes nas suas pinturas.

 

A alma africana

Os seus trabalhos são um verdadeiro convite à contemplação da sua bem-amada Angola. Um país repleto de vastíssimas possibilidades. Marcia Dias, claramente assume como sua “obrigação” (sua responsabilidade) e dever projetá-lo em todo o mundo. E como o faz tão bem através das suas telas, com o seu pincel e as suas cores fortes!

“Foi uma evolução natural e gradual ao longo do meu percurso como pintora,

através, da arte dou a conhecer a alma africana.”

 

O reconhecimento internacional da sua arte

Marcia Dias vive feliz em Portugal, mas é com paixão que fala do seu país. Ao longo da sua carreira como artista, tem recebido várias distinções. Marcia referiu orgulhosamente que tem representado Angola em vários acontecimentos de grande relevo.

Na II Bienal de Artes de Leiria, uma exposição dos Países da CPLP (cerca de 100 artistas), sob o tema a “Paz no Mundo”, a sua obra destacou-se e mereceu um honroso prémio por ter alcançado o 2.º lugar, de entre 37 artistas plásticos angolanos. Um prémio que não considera ser seu, mas sim do país que representava, o seu país – Angola.

Pela sua trajetória de empenho e amor pelas artes plásticas é reconhecida internacionalmente pelo contributo que tem prestado na promoção da cultura angolana em todo o mundo. Foi eleita como personalidade do ano 2018 em Angola.

No maior salão de arte do mundo no Museu do Louvre em Paris, foi convidada a participar, em representação de Angola, no Salon International D’Art – Carrousel du Louvre, em Paris, uma exposição coletiva de arte, integrando vários artistas de todo o mundo. A sua obra mereceu o prémio “Pincel de Ouro”.

De entre as várias exposições individuais e coletivas, destaca-se a Exposición Internacional “Otoño em Barcelona” em novembro passado. A exposição “Artes Mirabilis – Coletiva de Artistas Plásticos Angolanos” para homenagear e divulgar a cultura de Angola, organizada pela UCCLA e pela Embaixada de Angola em Portugal, com apoio do Ministério da Cultura de Angola, em fevereiro passado.

Muitos outros prémios, exposições e trabalhos de relevo tem recebido e executado com mestria. No seu palmarés salientam-se ainda as exposições realizadas no Hotel Tryp, na casa do Artista, no Hotel Marriot, nos 150 anos da Cruz Vermelha (coletiva), na Casa de Angola, no Bazar Diplomático, na Festa do Consulado em Angola, no Hotel Presidente e na Galeria de Artes, em Luanda, entre muitos outros.

Obra premiada pela Lion International Art ConTest, julho2019
Obra premiada pela Lion International Art ConTest, julho2019

 

E em breve partirá até ao Dubai para mais uma exposição internacional. Força Marcia Dias!

 

Duas telas dois países

Visivelmente feliz pelo reconhecimento de que é detentora, refere o convite que honrosamente recebeu para pintar duas telas para oferta em nome da comunidade de angolana ao Presidente da República de Angola e à Ministra da Cultura, no âmbito da visita oficial a Portugal em novembro último. Pedidos efetuados pelo Consulado Geral da República de Angola em Portugal e pelo Adido Cultural da Embaixada de Angola, respetivamente.

O quadro, um óleo sobre tela com detalhes em folha de ouro e a Torre de Belém em fundo é um retrato do Presidente simbolizando, assim, a amizade entre estes dois países. O outro, uma tela, intitulada Intercultura, representada por uma palanca negra, cercada pelas bandeiras dos dois países e em plano de fundo igualmente a Torre de Belém, como simbolismo de países irmãos.

 

A “Energia do Sol”

A última exposição da artista plástica decorreu no Forte de São Bruno, em Caxias, organizado pela Associação dos Amigos dos Castelos, cujas obras e artigo pode ver Aqui. As criações patentes na exposição sob o título “Energia do Sol” são bem demonstrativas da sua natureza e personalidade e do fascínio enorme em pintar o pôr-do-sol. Citando a artista “Quem pinta o sol nunca vive na solidão”.

O facto de ter sido hasteada a bandeira Angolana nesta exposição atesta o reconhecimento do excelente papel na promoção da cultura Angolana pelos vários cantos do mundo.

 

Assim é Marcia Dias!

Eu quero estar sentada na coroa da lua”

 

 

Marcia Dias uma mulher empreendedora

Como mulher empreendedora que é, tem sabido construir, de forma muito sólida, a sua carreira como artista. No entanto é com muita simplicidade que nos diz saber que as suas obras e o seu nome como artista, têm uma projeção internacional.

Atualmente desempenha o papel de Diretora Cultural da Casa de Angola. Marcia Dias conta-nos como tudo aconteceu e uma vez mais, reconhecemos a aptidão estratega que há nesta mulher. Um papel, que soube conquistar merecidamente, e com profissionalismo e competência gere uma vastíssima agenda cultural.

Não perca a nossa próxima entrevista à Diretora Cultural da Casa de Angola – Marcia Dias

 

 

Página do Facebook de Marcia Dias

Também pode gostar

Deixar uma resposta