De bicicleta pelas ecovias do Minho

Publicidade

 

Seis dias a pedalar pelas ecovias desta região do Norte de Portugal: ecovia Litoral Norte, ecovia do Lima, ecovia do Vez e ecovia do Minho. Foram 300km em bicicleta e campismo selvagem, acompanhada do Flepis, outro ciclo-aventureiro.

Esta viagem foi muito sustentável, a nível ambiental e económico. Ambiental porque os transportes utilizados não poluem e a comida por vezes foi de produção local; económica pois transportando material de campismo na bicicleta e pernoitando na tenda, não se paga alojamento, tornando as férias muito baratas.

O momento em altas foi quando perdi o saco-cama durante a noite, mas recuperei-o no dia seguinte!

 

Dia 1: Porto – Viana do Castelo

Apanhei o comboio de Lisboa para o Porto, uns dias antes. Esta mini aventura de bicicleta teve início no Porto. Maioritariamente pela Ecovia Litoral Norte, junto à linha da costa, o primeiro dia foi para rasgar pneus, sempre a abrir, porque o objetivo era pedalar 90km para dormir em casa de um amigo do Flepis, com quem fui viajar.

Nessa casa de família, fomos tratados da melhor forma possível: deram-nos muita e boa comida, de produção local, deram-nos banho e cama lavada. Tratamento real: nada mal para energizar a viagem.

Dia 2: Viana do Castelo – Cascatas do Pincho

O objetivo para este dia de viagem era “passar” nas Cascatas do Pincho. Por um caminho improvisado e sem horários a cumprir, estas Cascatas foram afinal não apenas passagem, mas o local de pernoita. O que eu mais gosto das minhas viagens em bicicleta é o improviso, de não saber onde vou dormir.

No Pincho, um banho de água fria, uma beleza natural e muitos sapinhos, girinos.

Depois parámos no Caçana, um bar recomendado pelos locais, para comer e beber Champarrião, uma mistura de vinho branco, cerveja, seven up, açúcar e canela. Uma delícia servida em caçarolas que nos embebeda mesmo!

À noite, o Flepis fez questão de tentar montar as tendas junto ao rio, sem qualquer iluminação no local. Acontece que, como eu já não estava muito atenta (sentia-me muito cansada…), o meu saco-cama caiu e rolou para o ribeiro. A água corria tão rápido que o saco-cama desapareceu num instante! Foi assim que fiquei sem saco-cama nesta noite e dormi com os pés muito frios.

Encontrei o meu saco-cama no dia seguinte, uns bons metros mais à frente do local da queda, já todo ensopado, muito pesado, já não boiava. E ficou a cheirar a mofo até ao final da viagem…

Dia 3: Cascatas do Pincho – Ponte da Barca

Pedalar por estrada até entrar na ecovia do Lima, que percorre a margem Sul do rio Lima. Esta ecovia é muito fixe para fazer, sozinh@, acompanhad@, ou em famílias.

Paragens para fotografias, para o almoço em Ponte de Lima e repôr o combustível de cicloturista (beber cervejas).

Em Ponte da Barca, o campismo selvagem no parque de merendas foi junto ao rio, o que fez com que o acordar tivesse uma paisagem fluvial espetacular e o pequeno-almoço passou-se a olhar uma garça-real.

Dia 4: Ponte da Barca – Sistelo

Pedalou-se até Arcos de Valdevez, onde fomos para a ecovia do Vez. Esta ecovia, ao longo do rio Vez, liga Jolda S. Paio ao Sistelo. Decidimos ir até Vilela, que era caminho plano.

Não sei porquê, passado umas horas a decisão foi ir até ao Sistelo, que foi uma subida danada, por passadiços pedonais, trilhos de BTT, pedra, calhaus mesmo grandes, algumas escadarias. Teria havido um caminho mais confortável para ir de bicicleta, ao menos a viagem estivesse planeada e teríamos visto isso!

O almoço piquenique ilegal foi dentro de um barquito, que era muito giro, que estava atracado na margem do rio. Não veio a Polícia.

No Sistelo, “o pequeno Tibete Português“, lambuzei-me com um belo de um bife de Cachena, uma raça de vaca portuguesa, da região. É mesmo carne de verdade! Ainda não foi desta que virei vegetariana…

Dia 5: Sistelo – Valença

Adoro apanhar frutos pelo meu caminho e comê-los na hora. Nesta viagem, a fruta que colhi foram as amoras. Todos os dias, muitas, que bom!

De Sistelo para Monção foi quase sempre a descer, por estrada. Em Monção, conhecemos um casal viajante cicloturista que está a fazer a volta a Portugal com desenhos – @worldsketchingtour e @anyisa. Super porreiros e inspiradores para viagens maiores.

 

Em Valença, fiz campismo da forma que mais adoro: junto às muralhas da cidade (do lado de dentro, mesmo). Tipo rainha, na sua cidade.

Dia 6: Valença – Viana do Castelo

De Valença a Caminha, pedalar pela ecovia do Minho. Paisagem muito bonita, de suave inclinação, perfeito para iniciantes.

Neste dia, foram mais de 60km, para apanhar o comboio de regresso a Lisboa, às 15h. Para mim, o último dia pode ser a rasgar, pois no dia seguinte já estou em casa e posso ficar com dores musculares!

Esta foi uma viagem em bicicleta de percurso e destino improvisados, cujos detalhes foram sendo escolhidos a cada dia. Alguns dos caminhos foram feitos com os trilhos GPX do Ecovias.pt e dos conselhos das pessoas locais, que são poços de sabedoria!

Mal posso aguardar pela próxima!

 

Percurso e tracks das viagens:

Dia 1: www.strava.com/activities/5761411491

Dia 2: www.strava.com/activities/5765866509

Dia 3: www.strava.com/activities/5771568900

Dia 4: www.strava.com/activities/5777498873

Dia 5: www.strava.com/activities/5782975577

Dia 6: www.strava.com/activities/5786175230

 

A Inês Sarti Pascoal enriquece o Hucilluc, através da partilha das suas experiências.

Obrigado, sempre!

 

Também pode gostar

1 comentário

Leave a Reply