O Museu do Douro e os Barcos Rabelo

Vista do terraço do museu do douro

O Museu do Douro, é um museu polivalente com um vasto património exposto visando promover o desenvolvimento sociocultural da Região Demarcada do Douro.

Visita ao Museu em Peso da Régua

O Museu do Douro situa-se na cidade de Peso da Régua, num emblemático edifício da história da Região Demarcada. O edifício da antiga “Companhia Geral da Agricultura das Vinhas do Alto Douro”, foi reabilitado e inaugurado em dezembro de 2008. Este edifício está diretamente relacionado com a fundação da Companhia Geral da Agricultura das Vinhas do Alto Douro que em 1756 criou a primeira zona vinícola regulada do mundo. A Companhia foi responsável pela demarcação geográfica e regulação da produção e comercialização dos vinhos do Douro. Detentora do monopólio do “vinho do Porto” para o administrar mandou construir este edifício sede, de monumentalidade reveladora do seu poder, no entreposto da Régua.

 

Faça uma visita a este museu, aprecie ao vasto património exposto. Conheça um pouco da história desta belíssima região de vinhos e de paisagens deslumbrantes. Espante-se com a coragem dos homens durante a tormentosa e árdua labuta do transporte das pipas de Vinho do Porto do Alto Douro nos Barcos Rabelos. Aprecie alguma exposição em curso, passe pela loja e compre um bom vinho ou outro produto típico da região. No final da visita, não deixe de apreciar um cálice de vinho do porto, no terraço do museu de onde pode apreciar a belíssima paisagem envolvente.

Os Barcos Rabelos e os homens de coragem

Até à construção da ferroviária do Douro em 1887, os Barcos Rabelos constituíam a única forma de transporte dos vinhos do Porto. Navegavam no rio desde a zona do Douro Vinhateiro, até às caves no Porto e em Gaia, dos empresários que o exportavam. Segundo os historiadores, os Barcos Rabelos continuaram a ser utilizados até 1964.

Nessa época, quando ainda não tinham sido construídas as cinco barragens entre a Foz, no Porto, e Barca d’Alva, o rio Douro era um rio revolto e tempestuoso. A corrente  turbulenta e imprevisível, dificultava e tornava perigosa a viagem de transporte das pipas de Vinho do Porto nos frágeis barcos Rabelos.

 

Tripulados por homens de coragem, davam nomes religiosos aos seus barcos numa prova de fé que, assim, confiavam os levariam a porto seguro.

Os barcos construídos em madeira, tinham dimensões compreendidas entre os 19 e os 23 metros. Em média, era possível transportar em cada barco até 100 barris de Vinho do Porto e a tripulação constituída por cerca de 12 homens. Era a sua força, técnica e coragem, que permita seguir a viagem mesmo quando o barco era apanhado na corrente enfurecida das águas do rio.

Espaço Armanda Passos  – Exposição Permanente

Maravilhe-se visitando o espaço de exposição permanente com as incríveis obras da artista Armanda Passos, uma das grandes referências da pintura contemporânea portuguesa.

Armanda Passos
A originalidade das obras de Armanda Passos.

Armanda Passos nasceu em 1944, no Peso da Régua, e licenciou-se em Artes Plásticas na Escola Superior de Belas Artes do Porto. A sua obra está representada em várias coleções como a do Museu Nacional de Arte Contemporânea, da Fundação Calouste Gulbenkian, da Fundação Oriente, Fundação Champalimaud, do Museu de Serralves, ou do Museu Amadeo de Souza-Cardoso.

 

Leia sobre um cruzeiro no Rio Douro

Cruzeiro no Rio Douro

Também pode gostar

Leave a Reply