À conversa com Fernanda Lamelas, ….

Fernanda Lamelas é arquiteta, fortemente ligada a diferentes formas de expressão como artista, mas é no desenho que encontra a sua forma especial de ver e transmitir o que a rodeia.  Os seus desenhos são trabalhos incríveis, criativos e expressivos da forma como vê o mundo. Fernanda Lamelas é uma mulher que se encanta com os detalhes do mundo que a rodeia.

 

Sempre adorei desenhar

Gosto do detalhe, gosto do nosso património, gosto de interpretar em aguarela, gosto da cor, gosto da simetria, gosto de desenhar.

 

Fernanda Lamelas fala de si, do seu percurso de vida que a levou a interessar-se pela área do desenho, pela estética e, enfim, pela arte.

Sempre fiz cursos de formação na área de Belas Artes: Pintura, desenho, composição, cor nu, etc. Desde 2011 comecei a desenhar em Caderno Gráfico, a frequentar encontros com pessoas que partilham este gosto pelo desenho, e esse momento foi marcante e mudou a minha perceção e a forma de ver o mundo que me rodeia. Porque saber desenhar é saber ver.
Apaixonada pelas tradições portuguesas e pela arte do artesanato, durante dois anos desenhou jóias para uma marca portuguesa que ainda utilizava a técnica da filigrana feita à mão, criando novos desenhos a partir de um processo artesanal.

 

“Fernanda Lamelas Arts”, é uma marca de acessórios feitos peça a peça por artesãos portugueses.

A sua coleção de lenços de seda de Fernanda Lamelas são peças assinaladas pela originalidade e pela herança cultural portuguesa.

Adoro lenços, adoro desenhar e interpretar os detalhes que me rodeiam, tive a ideia de aliar isso tudo e criar objetos de uso pessoal num material nobre que é a seda.

Não é fácil encontrar artesãos e, no meu caso, levei quase um ano até encontrar a equipa com quem pudesse colaborar. Mas por outro lado, à medida que nos vamos interessando pelo tema começamos a descobrir que há sempre mais pessoas com quem gostaríamos de colaborar.

 

Arte portuguesa e a moda é uma excelente combinação inspiradora. Valorizar o património cultural é uma forma de conquistar o mundo?

Sim, acho que valorizar o património cultural é uma forma de conquistar o mundo.

A nossa capacidade artesanal é única (porque essa capacidade também faz parte do nosso património), foi desenvolvida ao longo de séculos, cruzando conhecimentos em várias partes do mundo e com culturas diversas. Se a este saber soubermos acrescentar criatividade e capacidade de venda, poderemos apresentar ao mundo produtos diferenciadores com elevado valor acrescentado.

 

Concebe desenhos em resultado da sua forma de ver o mundo.

Fernanda Lamelas

Em todos os meus desenhos parto de algo real, que existe, que transformo de acordo com a minha estética, e a partir do qual conto sempre uma história.

Há muitas coisas que olho e que inspiram logo um desenho, uma transformação, uma história. Quando sou desafiada a criar novos desenhos, também sigo sempre a “primeira ideia” que me surge, trabalho outras hipóteses, mas normalmente a primeira é a que prevalece. Já na arquitetura me acontece o mesmo. Mas é sempre preciso trabalho.
Diria que tudo me influencia. O mundo que me rodeia. Gosto muito de muita coisa. Gosto do detalhe, gosto do nosso património, gosto de interpretar em aguarela, gosto da cor, gosto da simetria, gosto de desenhar.

Nos meus desenhos gosto sempre de partir do real para a transformação.

Primeiro é essa vontade de passar a desenho toda uma série de detalhes que vejo quando olho. Depois é a fixação daquilo que desenhei, das emoções que senti, das pessoas, do clima, dos cheiros. Tenho dezenas de cadernos, lembro-me de todos os desenhos que fiz, recordo todos esses momentos.

 

Da aguarela ao primeiro lenço de seda

A aguarela que nunca me abandona foi aquela que deu origem ao meu primeiro lenço de seda, um detalhe de um pórtico Manuelino do Convento do Carmo em Lisboa.

Mas as aguarelas que mais me encantam, são aquelas que mais trabalho me dão a fazer, quanto mais elaborado for o desenho, mais eu me envolvo, maior é o prazer no final. Embora sofra muito pelo meio…

 

 

Fernanda Lamelas fala-nos dos projetos que tem em mãos

A minha cabeça não para, cada vez quero fazer mais coisas, sinto que posso fazer mais coisas.

Tenho imensos projetos empolgantes em carteira para realizar, em Lisboa e no Porto, à volta dos lenços e outros temas ligados a outros objetos de produção artesanal. Mas depois, o dia só tem 24 horas e a vida não pode ser só uma direção, não se deve “colocar os ovos todos no mesmo cesto”.

 

Um projeto que quero levar para a frente é a realização de workshops de desenho e outras atividades que permita partilhar algum do conhecimento que fui acumulando ao longo de uma vida.

Fernanda Lamelas

Tenho outros projetos, mas tenho o dever de alguma reserva face aos meus clientes. No entanto, posso dizer que tenho projetos com hotéis, com museus, com universidades, com empresas.

 

A visão de Fernanda Lamelas quando ao futuro das artes

Portugal é um país imensamente rico, porque dispõe de um património cultural único, seja no saber dos seus artesãos, seja no património edificado, seja no carácter da população, seja nos sabores da sua gastronomia, seja na criatividade dos seus diversos artistas. Falta que os portugueses percebam isso e sintam orgulho nisso. O gosto pela arte só pode ser incentivado se desde os bancos da escola as crianças forem habituadas a visitar museus e monumentos, assistir a espetáculos diversos, aprender a nossa História.

 

Só se pode amar aquilo que se conhece e, dentro daquilo que é nosso e daquilo que somos, temos ainda muito para descobrir.

 

 

Foto de Fernanda Lamelas by Francisco Almeida Dias

 

Site de Fernanda Lamelas

Blog de Fernanda Lamelas

 

 

Também pode gostar

Deixar uma resposta