À conversa com Silvia Correia, empresária e empreendedora social

Silvia Correia restore

Sílvia Correia, empresária e empreendedora social, responsável por projetos de voluntariado, uma ‘nuvem’ orgulhosa na pediatria do Hospital de Braga, uma mulher determinada, criativa, apaixonada, verdadeiramente fascinante:

 

“Sou apaixonada pelo meu trabalho, considero-me uma privilegiada porque adoro o que faço e faço o que adoro e acredito que a chave para fazer a diferença é permitir que as pessoas se tornem agentes de mudança positiva e criativa”

 

 

 

Quem é a Sílvia Correia? Fale-nos um pouco de si e do seu percurso como empresária e empreendedora social. 

Olá, aos 48 anos acumulo vários papéis, mas aquele mais importante é claramente o de mãe de uma princesa de 15 anos que me desafia a ser melhor pessoa todos os dias!
Sou economista de formação, sou empresária e empreendedora social, sou responsável por dois projetos de voluntariado e também sou uma ‘nuvem’ orgulhosa na pediatria do Hospital de Braga.
Tenho no Inglês e no Italiano duas paixões assumidas (sou italiana de coração) adoro ler, conduzir e cozinhar. Em tom de brincadeira costumo dizer que só tive calma para nascer porque estava a ‘processar’ a minha entrada nesta aventura chamada Vida; fi-lo de forma diferente e nada fácil para a minha mãe (o que me valeu alguns lembretes por parte da minha mãe…) porque nasci ao contrário …só para ser diferente (:)
“…acredito que a chave para fazer a diferença é permitir que as pessoas se tornem agentes de mudança positiva e criativa”

 

Sempre fui muito focada nos objetivos a que me propus e lembro-me perfeitamente do primeiro que estabeleci: com 5 anos estava na cama a folhear um livro e quando a minha mãe me veio dar um beijo de boa noite eu disse-lhe “um dia vou saber ler isto tudo”. O outro objetivo que me marcou foi com 9 anos no 5º ano e tive a primeira aula de Inglês… decidi que seria a melhor nesta disciplina. Estavam encontradas 2 das minhas paixões: a leitura e o Inglês!

 

A minha primeira experiência laboral foi no verão dos meus 16 anos para pagar a minha primeira viagem de avião a Inglaterra para fazer um curso intensivo de Inglês em Newcastle-upon-Tyne; estava encontrada uma outra paixão: as viagens! Comecei aí a tratar os aviões por ‘tu’ e a criar a minha rede de contactos estrangeiros; começou por um indiano na viagem de Londres para Newcastle e por um casal de norte americanos que viajavam de Londres para Lisboa – amizade que se mantém até hoje, que me valeu 2 idas à Califórnia e Portugal ganhou dois cidadãos ‘honorários’ que não se cansam de promover o nosso país e até já compraram apartamento em Braga.
Decidi ir para Lisboa fazer o curso de Economia, mas antes havia outro objetivo a cumprir: tirar a carta de condução… e estava encontrada outra paixão: conduzir! No meu 4ª ano decidi fazer um semestre de Erasmus em Gent, Bélgica para poder enriquecer o currículo académico, desafiar os meus limites, testar a capacidade de viver sozinha (não havia transportadoras low-cost, era ir e voltar quando acabasse), desenvolver competências, partir à aventura, aprender uma nova língua (Flamengo), conhecer pessoas de diferentes nacionalidades e encontrar outra paixão que teria um desenvolvimento uns anos mais tarde: o Italiano!

Sou conhecida pelas minhas competências de organização e motivacionais e destaco-me na capacidade de construção de equipas;

sou determinada, focada nos projetos em que estou envolvida, e estou sempre de ‘antenas ligadas’ para o projeto que se segue.

Sou responsável por 2 projetos de voluntariado incorporados na minha empresa Creative Zone: D’Avo With Love e How Can I Help You? e pertenço também ao núcleo de Braga da Associação ‘Nuvem Vitória’.

Em plena pandemia criei a empresa Essential Together para gerir o meu projeto mais recente e a atual ‘menina dos meus olhos’: a re.store® – a marca amiga do Ambiente e das Pessoas, que criei em 2019; com a re.store® não pretendo mudar o mundo, mas muitos pequenos mundos em Portugal e no estrangeiro, sensibilizando as pessoas para a importância da mudança de hábitos de comportamento para com o Ambiente e para com Pessoas diferentes/especiais, via inclusão.
Desde abril 2005 que exerço ainda o meu papel mais importante e exigente, o de Mãe!
Sílvia Correia empresária e empreendedora social, a criatividade
…………    O meu Lema é ‘roubado’ ao Miguel Torga: “O destino destina, o resto é comigo”!

 

Quando aconteceu a “Creative Zone” e porque sentiu a necessidade de fazer acontecer este projeto? Em que consiste?

 Quando saí do ISEG em Lisboa, regressei ao Norte para um estágio num Banco em Braga e fui bancária em Guimarães durante 3 anos, mas faltava algo … chegou a oportunidade com um cartão de Natal vindo de França e emigrei para a Suécia para iniciar o namoro – que ainda mantenho – com outra paixão: o Marketing! Foi uma experiência incrível, pessoal e profissional, de crescimento e aprendizagens, viajei pelos vários escritórios desta multinacional (em 6 meses levantei voo 43 vezes!) e fui colocada 6 meses em Paris. Depois foi-me dada a oportunidade da minha vida, aquela que me marcaria para sempre como profissional e pessoa: a possibilidade de morar e trabalhar em Milano, Itália! E aconteceu mais uma paixão, arrebatadora e para a vida. Aprendi Italiano e ainda hoje, passados 20 anos do meu regresso, faço ‘tourism stalking’ sempre que oiço italiano… é mais forte do que eu!
Regressei a Portugal para o mundo têxtil-lar como responsável pelas áreas do Marketing, Design e Licenças na maior empresa de têxteis-lar em Portugal.

Viajei para países como a China, Índia e Bangladesh para conhecer uma realidade têxtil e empreendedora diferente, conheci sociedades e realidades que me testaram e que me enriqueceram pessoal e profissionalmente e que me motivaram, ainda mais, a avançar com o meu projeto pessoal, a minha Creative Zone (CZ).

O primeiro apoio incondicional e que reforçou a minha confiança para avançar veio da Índia, resultado de um trabalho de entrega, de superação e de respeito.

Sílvia Correia: Vale sempre a pena ‘to walk the extra mile’.
……  Sílvia Correia: Vale sempre a pena ‘to walk the extra mile’.
.

 

E assim nasceu a CZ, uma doce vitória construída sobre fundações de esperança e de parcerias e de uma vontade férrea de “fazer-acontecer”.

Nasce de uma necessidade de concretizar um objetivo a que me havia proposto há alguns anos: usar o meu know-how e experiência para potenciar a atividade de outros. A CZ é o meu projeto de vida, é o culminar de um percurso profissional enriquecido em todas as empresas onde tive o privilégio de trabalhar.

 

Sílvia Correia é uma empresária e empreendedora social imparável. Tem duas marcas criadas, vários projetos sociais, o que a move? As Pessoas, a dimensão ambiental, a importância da sustentabilidade?

Sou apaixonada pelo meu trabalho, considero-me uma privilegiada porque adoro o que faço e faço o que adoro e acredito que a chave para fazer a diferença é permitir que as pessoas se tornem agentes de mudança positiva e criativa.

Acima de tudo movem-me as Pessoas, sim, sempre a prioridade.

Sílvia Correia o projeto restore
Sílvia Correia:  O Ambiente e a sustentabilidade do Planeta apenas fazem sentido se trabalharmos em função do bem-estar das Pessoas, envolvendo-as na solução, fazendo-as acreditar que o esforço conjunto resultará em recompensas mútuas… sempre (:)

 

A Bedattitude e a re.store são duas marcas que já voam sozinhas. Em que consistem?

A marca Bedattitude® é a realização de um sonho que nasceu na cama do hospital quando a vida me pregou uma partida (corpo parado, mente funciona ainda mais rápido); é a materialização de uma resolução, é a transformação de algo menos bom numa experiência positiva e dotada de #attitude.

 

 

 

“If you can dream it, you can do it!” já dizia Walt Disney, e assim, em dezembro/2017 nasceu a Bedattitude®, uma marca nacional que transforma os sonhos dos seus clientes em têxteis personalizados para a decoração do seu espaço.

É uma marca construída em cocriação com o seu cliente tendo como base a imaginação e como objetivo surpreendê-lo com um produto único!

Os clientes podem ter aquela fronha que é só deles, aquele jogo de cama que os transporta ao fantástico mundo dos sonhos onde brincam com o seu herói ou fazer desporto com o jogador que os inspira.  Os nossos produtos são impressos, cortados, confecionados e embalados com a mestria de anos de experiência acumulada na zona têxtil do Vale do Cávado e do Vale do Ave, em várias localidades do distrito de Braga.

 

A marca re.store® começou a ser construída em janeiro de 2019 e nasceu em outubro de 2019 com o propósito de lançar produtos que possam aplicar as premissas da economia azul através da reutilização de desperdícios e sobras têxteis.

Tendo estas premissas como base, a mesma assume um cariz importante em termos de impacto na vida de um grande número de pessoas porque RE.cicla, RE.utiliza e RE.duz e assume-se como uma marca amiga do Planeta e das Pessoas, tendo sido criada pela empresa Creative Zone, mas já deu origem a uma segunda empresa, a Essential Together.

Pretende afirmar-se como uma marca que contribua para uma mudança de mentalidades e hábitos no que concerne a preocupação da população para as questões ambientais e para a valorização das competências de franjas da população que têm dificuldades de integração e reconhecimento.
Ao comprar os produtos de tecido re.store® as pessoas estão a contribuir para a sustentabilidade do planeta porque…
    • O tecido dos produtos é reutilizado a partir dos desperdícios e/ou sobras dos processos de produção de empresas de têxteis-lar.
    • A etiqueta da marca é feita com fios de poliéster reciclados.
    • A mensagem da marca é impressa com tinta ecológica e em tecido de algodão 100% orgânico.
    • As alças do saco são feitas em tecido de algodão 100% orgânico.
    • A etiqueta do conceito é feita a partir de desperdícios de algodão e sementes de plantas, sendo plantável.

E ainda estarão a contribuir para a sustentabilidade social de várias instituições/associações sociais e projetos sociais, porque os produtos re.store® são integralmente confecionados pelos seus utentes, valorizando e remunerando deste modo o seu trabalho e a sua autoestima, promovendo a sua inclusão social porque:

“Diversidade é convidar para a festa; Inclusão é chamar pra dançar.” E nós gostamos de dançar (:)

.

 

D’Avó with Love e How can I Help You? são projetos sociais onde se envolveu. Qual o objetivo inerente a cada um deles?

D’Avó with Love® é um projeto de voluntariado que promove o envelhecimento ativo com a transformação de fronhas em peças de vestuário para crianças necessitadas.

A marca D’Avó with Love® teve origem no movimento cívico DishMob em Braga, mas faz agora parte da política de Responsabilidade Social da empresa Creative Zone, sendo esta a responsável por toda a logística de captação de donativos, preparação dos mesmos para envio às avós voluntárias, recolha das peças e sua arrumação da sede, gestão e preparação dos pedidos de peças de vestuário para enviar às crianças que delas necessitam. É ainda responsável pela comunicação e organização dos eventos que promovem o projeto, conferindo-lhe a notoriedade de que necessita para poder ajudar cada vez mais crianças e as avós voluntárias.

D’Avó with Love® tem como principais atores: a indústria têxtil, os nossos seniores (e a sua experiência de vida) e as crianças que necessitam de um carinho em forma de peça de vestuário (vestido, calção ou túnica)!

D’Avó with Love um projeto de Sílvia Correia
…..   Sílvia Correia: “D’Avó with Love® Envolve investimento em tempo, excedentes e outros recursos disponíveis em torno desta causa solidária.”

 

Estão envolvidas empresas e associações que fornecem os seus excedentes (fronhas, aplicações, rendas, elásticos, excedentes,…) e equipamentos em desuso, os voluntários coordenam e formam os lares aderentes e voluntários que contactam o projeto para costurar a roupa. Por fim, levamos sorrisos às crianças que são acolhidas em instituições devidamente identificadas e acreditadas. Até esta data já foram confecionadas mais de 6000 peças de vestuário, ou seja, mais de 6000 sorrisos foram entregues e recebidos.

 

Sílvia Correia: D´Avo com Amor
Sílvia Correia:  “As empresas ganham notoriedade ao nível da responsabilidade social, os nossos seniores envelhecem ativamente e aumentam a sua autoestima e as crianças recebem peças de roupas de qualidade, únicas e feitas com muito carinho e felicidade! Simples, não é?”

 

 

O projeto How Can I Help You? é uma ação promovida pela Creative Zone, em conjunto com o Município de Braga, a Associação Comercial de Braga e a escola de línguas International House Braga, e levada a cabo por estudantes voluntários.

 

How Can I Help You um projeto de Sílvia Correia
O projeto How Can I Help You 

 

O intuito desta ação é ajudar os visitantes da cidade de Braga na obtenção de direções, informação, dicas e outras que se mostrem necessárias na interação com os mesmos.

Sílvia Correia: ajudar os visitantes da cidade de Braga
How Can I Hel You – “ajudar os visitantes da cidade de Braga”
É uma ajuda itinerante fornecida pelos voluntários que estão nas ruas, junto aos pontos de interesse, complementando a informação que os visitantes podem obter nos postos de informação de Turismo.
Os voluntários promovem o território, humanizando a ajuda no terreno de uma forma inovadora em termos de parcerias locais, sendo estimulados para o gosto pelo conhecimento da cidade, interagindo com todos aqueles que nos visitam, tornando-se embaixadores da marca Braga; é uma experiência enriquecedora a vários níveis para estes alunos porque, ao mesmo tempo que praticam, num ambiente real, o idioma que estão a aprender, ainda ampliam os seus conhecimentos culturais e históricos sobre a cidade praticando uma ação de voluntariado.
Alguns números da edição da segunda edição em 2019 (2020 não se realizou devido à pandemia):

 

Sílvia Correia, no seu curriculum ainda constam mais aventuras deste género, isto é, criativas?

Gosto de usar uma frase de Elizabeth Andrew que diz “Volunteers do not necessarily have the time; they have the heart!” Mas se pegarmos nesta frase e substituirmos ‘Volunteers’ por ‘People’ penso que será aplicável a todas as nossas ações.

O nosso coração poderá sempre sussurrar à nossa razão que podemos fazer sempre mais, porque não importa quanto tempo temos, mas sim o que escolhemos fazer com ele.

O meu curriculum criativo é um processo em construção e, como diz a minha filha, estou sempre de ‘antenas ligadas’ para depois poder dizer às pessoas que me são mais próximas: ‘tive uma ideia’ … e aqui vamos nós até à outra frase da minha filha ‘Mãe, e quietinha, não?’

Posso partilhar que a próxima aventura criativa (já em desenvolvimento) se chama re.store® papel (:)

 

 

A marca re.store® tem produtos amigos do Planeta e das Pessoas. Pode explicar o processo de confeção? Que tipo de materiais utiliza?

Os materiais que utilizamos são desperdícios e/ou sobras do processo produtivo das fábricas de têxteis-lar e os componentes dos produtos re.store® são pensados para que tenham o menor impacto possível no processo produtivo: a etiqueta de ‘branding’ é impressa em tecido de algodão orgânico, as alças são confecionadas com tecido de algodão orgânico, a etiqueta da marca é feita a partir de fios de poliéster reciclados e a etiqueta do conceito é feita a partir de desperdícios de algodão e sementes de plantas, sendo plantável.
A razão dos produtos serem pensados em termos de processos e componentes é porque estes são produzidos por utentes de entidades sociais e/ou indivíduos com necessidades especiais (físicas, sociais, emocionais, carências económicas agravadas, entre outros), sendo remunerados por esse trabalho de inclusão no processo produtivo dos produtos re.store®.

 

Onde se podem comprar os produtos da marca re.store?

 

Os produtos da marca re.store® podem ser adquiridos na nossa loja online em www.restorebycz.pt ou trocados por pontos no catálogo das Farmácias Portuguesas, o nosso maior parceiro neste momento e apoiante incontestável desde o momento zero do projeto (:)

 

 

Quem são as pessoas que compram os seus produtos, tem um público-alvo?

Os nossos clientes são os melhores amigos do Planeta e das Pessoas, pelo que, todas as pessoas que se interessam e identificam com este propósito fazem parte do nosso público-alvo
Sílvia Correia Bedattitude
A Atitude de Sílvia Correia “…. existe apenas o ‘nós’ que interage em todas as fases da nossa vida. Tudo o que fizermos irá sempre impactar algo e alguém…”

 

 

Sílvia Correia, sendo uma pessoa empenhada e preocupada com a sustentabilidade ambiental que conselhos daria às pessoas que tem um comportamento consumista?

A minha resposta a esta questão vai parecer um pouco estranha vinda de uma economista /marketeer: otimizem os recursos que têm, não desperdicem, sejam criativas, sejam ousados na utilização dos recursos de que dispõem (incluindo as roupas e calçado que tenham no armário). Sejam altruístas e pensem no impacto que o consumo desenfreado, sem propósito está a causar aos recursos não renováveis do nosso planeta.
Sílvia Correia: Pensem "fora da caixa", ensinem as crianças a respeitar o Planeta, a poupar, a partilhar,
Sílvia Correia: “… ensinem as crianças a respeitar o Planeta, a poupar, a partilhar …”

 

Pensem ‘fora da caixa’, ensinem as crianças a respeitar o Planeta, a poupar, a partilhar, … Quantos leitores deste blog já fizeram ‘car pooling’ ou já compraram roupa em lojas de roupa usada ou otimizaram as roupas e brinquedos dos filhos e trocaram por outras apropriadas à sua idade? É tudo uma questão de mentalidade, de cultura!

Aqui os designers também têm que reformular a forma de pensar o produto porque importa desenhar soluções duráveis e sustentáveis; o marketing também tem que fazer uma alteração de paradigma e encetar por um marketing consciente, focado nas pessoas e no bem-estar geral do Planeta!
As sociedades nórdicas levam anos de avanço em relação a nós, são mais desapegados do sentimento de propriedade, algo que nos é quase intrínseco como portugueses.

Ainda hoje, a maior parte dos jovens que saem da faculdade ambiciona comprar uma casa e um carro dando continuidade a um pensamento instituído culturalmente de posse, o mesmo que acaba por lhes limitar também a mobilidade e a possibilidade de explorar outras oportunidades de trabalho e de experiência de vida.

Claro que temos que incentivar as pessoas a consumir, pois o consumo privado é um dos motores mais importantes de qualquer economia, mas podemos/devemos consumir com responsabilidade e ‘à economista’: pensando a longo prazo! (:)

 

 

 

Sílvia Correia, que sugestões daria aos nossos leitores para terem igualmente uma participação e um papel ativo na sociedade e seguir o exemplo?

Todos fazemos parte de um ‘condomínio’ de que temos que cuidar pelo que não existe o ‘eles’ ou ‘os outros’ … existe apenas o ‘nós’ que interage em todas as fases da nossa vida. Tudo o que fizermos irá sempre impactar algo e alguém, pelo que deveremos sempre agir com seriedade, respeito e com o propósito de contribuirmos para um mundo melhor, mais humanista, mais focado nas soluções e não nos problemas.

 

Sílvia Correia: O Tempo é o que nós fazemos dele
……     E o ‘não tenho Tempo’ não pode funcionar como desculpa porque, como disse acima, o tempo é o que nós fazemos dele (:)

 

 

 

Facebook: http://facebook.com/silvia.correia.pt

Linkedin:  https://www.linkedin.com/in/silviacorreia/

 

http://www.creativezone.pt/

 http://www.bedattitude.pt/

 www.howcanihelpyou.eu

Logo Restore

 http://www.restorebycz.com

Também pode gostar

Leave a Reply