Nos Passadiços do Rio Paiva

Os dias grandes e ensolarados, mas ainda sem temperaturas demasiado elevadas, com a natureza a mostrar um renascer, é uma altura propícia para partir à descoberta do nosso país. Uma oportunidade de juntar o prazer de viajar e conhecer o país, com um estilo de vida saudável onde o exercício físico desempenha o seu papel. Fique em forma para o verão que se aproxima e desfrute da calma que o contacto com a natureza nos proporciona.

Ao longo do Rio Paiva no concelho de Arouca, distrito de Aveiro pode encontrar a paz e exercitar-se percorrendo os 8km de passadiços entre as praias fluviais do Areinho e de Espiunca.  

 

Fizemos a experiência, ficámos com os músculos das pernas doridos durante alguns dias, mas aconselhamos que vá e viva por si esta aventura. Aproveite um fim de semana e passeie pela zona do Arouca Geopark, reconhecido pela UNESCO como Património Geológico da Humanidade, aprecie as paisagens, a biologia, geologia e arqueologia deste território.

 

Uma dica importante, nesta altura do ano os passadiços do Paiva começam a ser muito procurados faça, previamente, na internet a aquisição dos bilhetes (um euro) de entrada nos passadiços. Se porventura se esqueceu de fazer a aquisição prévia dos bilhetes, mas se utilizou algum estabelecimento de comercio/alojamento local solicite, atempadamente, a reserva dos bilhetes através desse estabelecimento.

Existe uma boa oferta de alojamento que se harmoniza com a natureza, a história e a cultura. Nós pernoitamos num alojamento local na Quinta da Vila, situado no Lugar da Vila, em Alvarenga, resultante da adaptação de uma antiga casa de caseiros do início do Séc. XIX, do lagar e outras instalações da antiga quinta.

 
 

Logo pela manhã, com vestuário e calçado apropriado, protetor solar e um chapéu, bem cedinho pois o dia anunciava-se ensolarado e quente, munidos de uma mochila com umas peças de fruta e água, fomos de carro até a uma das entradas nos passadiços. A entrada que nos foi aconselhada por ser a menos exigente em termos físicos constitui o percurso no sentido Areinho – Espiunca. Ao longo do percurso existem postos SOS para qualquer eventualidade. Se ao terminar já não tiver forças para o percurso inverso, pode apanhar um táxi, habitualmente já fazem este transporte levando de volta os aventureiros deste percurso.

 

Faça o percurso calmamente, vá apreciando a natureza no seu estado natural, a vegetação, as flores campestres que teimam em se mostrar ao longo do caminho, as quedas de água, saia do passadiço e desça até à zona de recreio e balnear para se refrescar, repousar um pouco ou para se aventurar numa ponte suspensa na zona do Vau, que se encontra sensivelmente a meio do percurso.

 

Se fizer um fim de semana mais alargado antes de caminhar nos passadiços, visite a região e deslumbre-se num passeio pelos vários Geossítios do Arouca Geopark, visite alguns locais de interesse arqueológico e monumentos que contam a história da região. Não perca uma visita ao Mosteiro de Santa Maria de Arouca, com espaços belíssimos numa construção granítica que albergou a ordem Beneditino e, a partir do século XII, a ordem de Cister.  Como habitualmente acontece a gastronomia, a não perder, os costumes e religião dos habitantes locais denotam a forte influência exercida pela existência remota deste mosteiro. Para degustar no local e/ou para levar para casa não deixe de comprar o tradicional Pão de Ló de Arouca.

Para programar a sua visita consulte mais informação no site:

http://www.passadicosdopaiva.pt/

Também pode gostar

2 comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *