Dia da Mãe

Atualmente o Dia da Mãe em Portugal é comemorado no 1º domingo de maio, em homenagem à Virgem Maria, mãe de Cristo, que segundo a tradição católica se celebra durante o mês de maio, embora durante muitos anos tivesse sido comemorado no dia 8 de dezembro, dia da Nossa Senhora da Conceição

O dia da mãe segundo a Mitologia Grega

Na Grécia antiga, a entrada da primavera era festejada em honra de Rhea, a Mãe dos Deuses. Segundo um dos mitos, Rhea era a esposa de Cronos, e mãe de Zeus, Hestia, Hera, Hades, Poseidon e Demeter. Quando Cronos derrubou seu pai, Urano, este amaldiçoou-o, dizendo que um dia ele seria derrubado por seus próprios filhos. Assim, Cronos engolia cada um de seus filhos quando nascia. Rhea, devastada, escondeu Zeus numa caverna no Monte Ida em Creta, quando ele nasceu, e, no lugar do filho, deu a comer a Cronos uma pedra enrolada em panos. Cronos engoliu-a, pensando ser o filho que havia nascido. Quando Zeus tinha idade suficiente, voltou para o Olimpo e Rhea prepara uma poção para dar a Cronos e fazê-lo adoecer. Quando Cromos bebe a poção, vomitou a rocha e depois cada um de seus filhos. Juntos, os deuses uniram-se e lutaram contra Cronos até que finalmente os olímpicos emergiram vitoriosos. Por ser mãe de todos os deuses do Olimpo, é conhecida como Mãe dos Deuses

Seguindo a ascensão do filho Zeus ao status de rei dos deuses, ela contestou uma parte do mundo. Refugiou-se nas montanhas e cercou-se de criaturas selvagens. Geralmente, é associada a leões ou a uma biga puxada por leões.

Na Ásia Menor, era conhecida como uma deusa terrestre, O nome significa “fluxo”, aparentemente em referência à menstruação feminina e talvez em referência aos partos fáceis.

Em Roma, as festas do Dia da Mãe eram dedicadas a Cybele, a Mãe dos Deuses romanos, e as cerimónias em sua homenagem começaram por volta de 250 anos antes do nascimento de Cristo.

The Mothers Days

Foi nos Estados Unidos, que surgiram os primeiros movimentos para a criação de um dia da mãe. Nos Estados Unidos, em 1858, a ativista Ann Maria Reeves Jarvis, fundou os “Mothers Days Works Clubs” com o objetivo de ajudar as famílias com dificuldades e assim diminuir a mortalidade de crianças. Em 1865 organizou o “Mother’s Friendship Days” (dias de amizade para as mães) para melhorar as condições dos feridos na Guerra de Secessão nos Estados Unidos.

Anna Jarvis, filha de Ann Maria Reeves Jarvis, a 12 de maio de 1907, criou o memorial à sua mãe, dois anos após a morte.  Em 1914, a data foi oficializada pelo presidente Thomas Woodrow Wilson e passou e ser celebrada no primeiro domingo de maio. No Dia das Mães os edifícios públicos eram decorados com bandeiras. O Dia das Mães foi celebrado pela primeira vez em 9 de maio de 1914.

Hoje é dia da mãe

Somos mulheres, filhas ou também mães, temos em nós a gratidão pela dádiva da vida que recebemos e, muitas de nós, a alegria da vida que geramos.

Nos dias de hoje em que a mulher desempenha um papel ativo no mundo do trabalho e sobre ela ainda recai a maior responsabilidade na organização da casa e no cuidado aos filhos, sabemos que o tempo e a disponibilidade para outras atividades é por demais escasso e precioso.

Neste dia da mãe não vamos sugerir que compre presentes para dar à sua mãe, mas sim que lhe dê um pouco do seu maior bem, o seu tempo. Demonstre-lhe o carinho e apreço com um gesto simples de umas horas passadas junto dela, ouvindo-a e mimando-a. A cumplicidade entre mãe e filha não termina nunca, reviva um pouco essa cumplicidade que, com toda a certeza, encherá o coração das duas de paz e alegria.

.

Poemas à mãe, leia e inspire-se para momentos de alegria junto da sua mãe.

“Porque os outros se mascaram, mas tu não”

Porque os outros se mascaram mas tu não
Porque os outros usam a virtude
Para comprar o que não tem perdão.
Porque os outros têm medo mas tu não.
Porque os outros são os túmulos caiados
Onde germina calada a podridão.
Porque os outros se calam mas tu não.

Porque os outros se compram e se vendem
E os seus gestos dão sempre dividendo.
Porque os outros são hábeis mas tu não.

Porque os outros vão à sombra dos abrigos
E tu vais de mãos dadas com os perigos.
Porque os outros calculam mas tu não.

Sophia Mello Breyner Andresen

 

Leia aqui o poema À Mãe de Eugénio de Andrade

Também pode gostar

Deixar uma resposta