O raminho da espiga

Publicidade

O raminho da espiga, é uma proposta de Hucilluc para comemorar este dia de primavera com todo o simbolismo pagão e religioso que tem associado e, ao mesmo tempo, através de um poema de Miguel Torga servir de inspiração a outras mulheres para que vivam donas do seu destino.

Procuramos prosperidade com um ramo de espiga em nossas casas.

A nossa ligação à espiga leva-nos à nossa infância. O quão adorável é as crianças irem para o campo apanhar a espiga para construir o seu ramo – o raminho da espiga.

O mais interessante é o lugar onde se coloca o ramo e o tempo que permanece!

Um conjunto de imagens que caracterizam a celebração da espiga!

A papoila é uma flor bela, frágil e efémera, que cresce livremente nos campos salpicando-os com a sua cor vermelha vibrante, faz parte do ramo da espiga e significa a Vida e o Amor. Para sua inspiração, partilhamos um poema de Miguel Torga que, usando a imagem de uma papoila, fala da mulher que vive livre a sua vida, sem estar presa a destinos pré-definidos culturalmente.

 

Papoila para o raminho da espiga
A papoila é uma flor bela, frágil e efémera, que cresce livremente nos campos.

 

Por uma papoila

Não a façam sofrer.

Não olhem a nudez da sua cor.

Se a quiserem ver

Adivinhem de longe o seu pudor.

Olhos nos olhos, não:

Cora, descora, agita-se de medo,

E é todo o desespero e a solidão

De ter na própria vida o seu degredo.

É uma donzela que não quer casar.

Veio ao mundo viver

A beleza gratuita de passar

Sem nenhuma paixão a conhecer

Miguel Torga

 

Papoila para o ramo da espiga
“Não a façam sofrer. / Não olhem a nudez da sua cor. “

 

Leia aqui outro artigo de Hucilluc sobre o dia da espiga!

O Dia da Espiga – 30 de Maio

 

 

 

Também pode gostar

Leave a Reply