Yoga nas Serras Portuguesas

Publicidade

 

Sentir, vivenciar e ouvir o silêncio são os ingredientes que transmito no Dia Internacional do Yoga!

Em primeiro lugar, as serras portuguesas propiciam paz, sensações e equilíbrios. Por um lado, os nossos equilíbrios físico, emocional, energético e espiritual ficam sincronizados, por outro lado, elevamos o nosso bem-estar.

RAZÃO E EMOÇÃO

Primordialmente, a razão e a emoção ficam de mãos dadas e o coração bombeia sangue com oxigénio puro.

Assim, é tão bom enraizar num cantinho da Serra do Gerês, bem no alto, onde a terra é nossa! Pode-se, pois, dedicar os sons da Natureza à nossa meditação.

Ainda mais sem tecnologias, sem desconforto, sem solidão e sem multidões. Seja como for, a melhor vivência é o nosso EU verdadeiro, em contacto direto com a Natureza. Sem interferências, sem comunicações digitais ou qualquer onda sonora conseguimos regular o nosso corpo.

UMA FILOSOFIA DE VIDA

Tão bom ter uma filosofia de vida e desenvolver o nosso EU. Seja como for, o nosso self essencial é uma pedra basilar.

Na Serra da Estrela, o conceito da minha consciência superou momentos de conhecimento! O panorama permitiu uma dimensão tão abrangente e tão real. Simultaneamente, me senti acompanhada pelas energias boas da vida.

A minha unidade permite-me percecionar com sabedoria o melhor para mim e para os outros. Sempre com a honra e a dignidade da minha pessoa. Que fonte de conhecimento e da verdade na vida, sem que os outros intercedam por mim! É a minha consciência com o Universo. Tanto quanto sei, é saber que a vida nos proporciona o que pensamos e a forma como vivemos nela.

A MINHA CONSCIÊNCIA

A prevalência da pobreza nos vários equilíbrios é a falta de partilha! Sob o mesmo ponto de vista, quero com a minha prática saber partilhar o que é meu e dos outros. Chegar à almofada com a consciência tranquila do meu dia, melhorar os meus valores e agradecer são os impulsos, no caminho para o meu desenvolvimento pessoal.

Quando fazemos um retiro existe o propósito de nos encontrarmos a nós próprios e de sentimos a Natureza que nos rodeia.

A serenidade e a força vital eleva-se no nosso Ser e inspiramos a energia circundante.

Também pode gostar

Leave a Reply