A nossa praia, de Vítor Encarnação

A nossa praia, um texto propício para uma ida à “nossa praia” nos dias de verão deste mês de agosto. Uma crónica de Vítor Encarnação publicada no jornal Diário do Alentejo.

 

 

“… eu levo um livro, tu gostas mais de ler a praia, abrimos o chapéu e as cadeiras, sempre no mesmo sítio, sempre à mesma hora, quem chega depois de nós já sabe que estamos ali, de certeza que já comentaram, olha lá está o casal de velhotes …”

A nossa praia - eu levo um livro, tu gostas mais de ler a praia

A nossa praia

 

Vamos sempre à mesma praia, não nos dá jeito ir a mais nenhuma, uma vez fomos a outra e parecia que andávamos perdidos, que andávamos nus, sem saber onde espetar o chapéu, sem saber quando é que o mar subia, sem conhecer ninguém, jurámos que nunca mais, é desta praia que gostamos, há mais de cinquenta anos que deixamos o carro no mesmo sítio, debaixo de uma sombra de alfarrobas, chegamos cedo, ainda o sol não aqueceu o céu, ainda a areia está fria, ainda a areia está deserta, acenamos ao homem que varre a esplanada, está velho o homem que varre a esplanada do café, conhecemo-lo ainda tão novo, ele dirá o mesmo de nós, eu levo um livro, tu gostas mais de ler a praia, abrimos o chapéu e as cadeiras, sempre no mesmo sítio, sempre à mesma hora, quem chega depois de nós já sabe que estamos ali, de certeza que já comentaram, olha lá está o casal de velhotes, é natural, desde que nos reformámos ficamos os meses de julho e agosto, às vezes gostava de saber quem é que ocupa aquele espaço quando não estamos, no outro dia dei comigo a pensar que gostaria de ser enterrado ali, se calhar tu já pensaste o mesmo, era bonito ficarmos ali para sempre cobertos de areia e de conchinhas do mar,

eu abro o livro e recomeço onde fiquei ontem e tu começas a ler as ondas, as gaivotas, os barcos e as pessoas, de vez em quando eu digo-te uma frase do livro e tu dizes-me uma frase da praia.

 

Do autor Vítor Encarnação pode ler:

Azul, de Vítor Encarnação

A vida é um rio, de Vítor Encarnação

Luz, um texto de Vítor Encarnação 

Encruzilhada, um texto de Vítor Encarnação;

Abraço, um texto de Vítor Encarnação 

Vinho, Vítor Encarnação;  

A serenidade nos tempos de vírus – Vítor Encarnação

Flor de Laranjeira, Vítor Encarnação 

Já nada existe antes da primavera, Vítor Encarnação 

Amor impossível, Vítor Encarnação

Levantar Cedo, Vítor Encarnação

Estiagem, Vítor Encarnação

Esquecimento, Vítor Encarnação

Língua mãe, Vítor Encarnação

Azeitonas, Vítor Encarnação

Hora Zero, Vítor Encarnação 

Autoestima, Vítor Encarnação

O Livro do Tempo, Vítor Encarnação

Contentamento, Vítor Encarnação

Labirinto,  Vítor Encarnação

Entrevista de Vítor Encarnação

Também pode gostar

1 comentário

Leave a Reply